As gestantes devem consumir pelo menos duas porções de peixe por semana‏


Gestantes devem ser encorajadas a consumir pelo menos duas porções de peixe por semana para reduzir o risco de seus filhos desenvolverem doenças cerebrais, de acordo com um grupo de nutricionistas.


O consumo de peixes entre mulheres em idade reprodutiva é restrito devido a observações relacionadas à presença de contaminantes potenciais nos peixes, como o mercúrio e as dioxinas.


Os nutricionistas temem que o conselho atual do governo do Reino Unido para as mulheres, recomendando que elas comam não mais do que duas porções por semana, esteja causando um aumento nas doenças cerebrais nas crianças, já que esta quantidade é insuficiente para fornecer este nutriente. Eles alegam que as pesquisas recentes mostram que o ômega-3 encontrado nos peixes, conhecido como ácido docosahexanóico, é essencial para o funcionamento apropriado do cérebro, para o seu crescimento e desenvolvimento.


Este grupo de nutricionistas acredita que as mulheres devem comer pelo menos três porções de peixe por semana.


Em conferência na Royal Society of Medicine, em Londres na semana passada, o Professor Jack Winkler, diretor da Nutrition Policy Unit na London Metropolitan University, disse que os benefícios do óleo de peixe ultrapassam de longe os riscos do consumo.


Estudo publicado no The Lancet, em 2007, com cerca de 12 mil grávidas, mostrou que aquelas que consomem até 340 gramas de peixe por semana, o que é equivalente a duas porções e meia, têm bebês1 com risco aumentado de ter baixa compreensão de linguagem. E conclui que os riscos da perda dos nutrientes existentes nos peixes são maiores que os malefícios dos contaminantes neles contidos.


O professor Michael Crawford, diretor do Institute of Brain Chemistry and Human Nutrition da London Metropolitan University, diz que “diferente das outras partes do organismo, o cérebro precisa de gordura2 para crescimento e desenvolvimento”. O professor ainda comenta que a menos que haja uma mudança no conselho nutricional atual, as doenças mentais continuarão a crescer em níveis alarmantes.


Um orador da Food Standards Agency disse que o conselho atual para consumo de peixes por gestantes é baseado em uma revisão de 2004 envolvendo dois estudos científicos independentes que pesaram os benefícios nutricionais do consumo de peixe e os possíveis riscos para a saúde. Estes estudos incluem gestantes e lactantes3.




0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO