Diagnóstico e Tratamento da Intolerância à Lactose






Por Cristiane Silva



Continuando a matéria: Entenda mais sobre a Intolerância à Lactose, segue abaixo mais informações sobre este assunto.
 Fique à vontade para comentar e tirar suas dúvidas com a Nutricionista.


DIAGNÓSTICO

 É particularmente difícil fazer um diagnóstico baseado apenas nos sintomas porque, muitas vezes, as pessoas manifestam este tipo de sintomatologia mas como resultado de outros problemas intestinais ou do consumo de alimentos que causam alguma irritação no intestino delgado. Os médicos usam testes específicos de diagnóstico. Há três tipos de testes que podem ser feitos:



* Teste de tolerância. Consiste em fornecer lactose pura ao paciente e durante as horas seguintes, amostras de sangue indicam os níveis de glicose. Se a pessoa for tolerante à lactose, a concentração de glicose no sangue aumenta, e se for intolerante ela aumenta muito pouco ou não aumenta. Este teste não é usado em crianças pequenas , pois a grande carga de lactose pode causar diarréia e desidratação, acarretando sérios problemas .
* Monitoração da quantidade de hidrogênio nos gases exalados pela respiração, após a ingestão da lactose. O hidrogênio é produzido na fermentação da lactose pelas bactérias quando ela chega ao intestino grosso, onde não deveria chegar. O hidrogênio é absorvido pelo intestino, transportado pela corrente sangüínea até os pulmões e, então, exalado pelo ar expirado. Se o paciente consumir leite, por exemplo, e a concentração de hidrogênio do ar exalado aumentar, isto indica que a lactose não foi propriamente digerida. Este teste, assim como o de tolerância à lactose, não é usado em crianças muito novas pelo mesmo motivo. Alguns medicamentos e alimentos, podem interferir no teste.
* Teste de acidez das fezes. Detecta os ácidos produzidos pela má digestão da lactose. Este teste é útil em crianças muito novas e pode indicar se a criança é intolerante à lactose.


TRATAMENTO

O tratamento é realizado através do controle alimentar evitando-se leite e derivados. È importante observar os rótulos dos alimentos para verificar a presença de traços de lactose . Crianças com deficiência de lactase não devem consumir fórmulas ou alimentos que contenham lactose, até tolerarem a digestão deste açúcar. A maioria das outras crianças ou adultos não necessitam de remover completamente  a lactose da sua dieta, no entanto, não existem quantidades específicas a serem consumidas por dia. A tolerância é variável entre indivíduos e num mesmo indivíduo, ao longo do tempo. Aqueles que reagem mal, mesmo a quantidades muito pequenas de lactose, devem dirigir-se a um médico ou nutricionista que através da exclusão de produtos que contenham lactose, indicarão o consumo de alimentos substitutos que se equivalem em relação ao valor nutricional e energético como o leite de soja.
È importante nesses casos a intervenção do profissional da área de nutrição como orientador na elaboração da dieta, pois se sabe que a monotonia alimentar é muito comum devido a restrição de alimentos. O planejamento de novas receitas que sejam apresentadas de modo atrativo e que estimulem o paladar contribui muito para o sucesso do tratamento.





Abraços a todos!

Cristiane Lima da Silva
Nutricionista- CRN 2 3066

0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO