O que são Fitoterápicos?

De [ Dicas de Nutrição ] para uma Vida Saudável!



De acordo com a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o fitoterápico pode ser definido como “o medicamento obtido empregando-se exclusivamente matérias-primas ativas vegetais. É caracterizado pelo conhecimento da eficácia e dos riscos de seu uso, assim como pela reprodutibilidade e constância de sua qualidade...”. 

Um medicamento fitoterápico é elaborado através de plantas medicinais e seus derivados (suco, cera, óleo, extrato, etc..), numa mistura de substâncias feita de maneira industrializada. Com o objetivo de prevenir, aliviar ou melhorar o estado patológico.

É preciso ter cautela no uso dos fitoterápicos “naturais”, principalmente em alguns casos, como, por exemplo, a restrição do uso para mulheres grávidas e lactantes (em fase de amamentação), pois algumas substâncias podem interferir negativamente na fase de gestação e torna-se um fator abortivo. Por isso, só use por indicação médica ou por nutricionista capacitado.

As plantas medicinais mais procuradas pela população são: artemísia, babosa, boldo, camomila, carqueja, catuaba, erva doce, erva cidreira, eucalipto, espinheira santa, ginseng, guaco, guaraná, hortelã, malva, quebra-pedra, romã e tanchagem.

Fitoterápicos e Emagrecimento

Algumas plantas atuam como auxiliar na perda de peso e desintoxicação do organismo. De acordo com as substâncias presentes em determinado fitoterápico, são muitos os princípios ativos utilizados para ajudar no processo de emagrecimento. A Chlorella, por exemplo, contém algas compostas por proteína, clorofila, vitamina E e complexo B que agem como complementos nutritivos, auxiliando na sensação de saciedade. Portanto, auxilia no emagrecimento, na constipação (intestino preso) e no fortalecimento do sistema imunológico. 

Prescrição:

Desde o dia 30 de julho de 2007, quando foi publicada a Resolução nº402, os profissionais de nutrição estão autorizados a praticar prescrição de fitoterápicos oriundos de plantas in natura frescas, ou como droga vegetal nas suas diferentes formas farmacêuticas. 

Nós nutricionistas orientamos nossa paciente sobre como fazer o uso correto do fitoterápico, que precisa ser reconhecido e adequado às normas da ANVISA (quando industrializados).

A segurança dos fitoterápicos deve ser a mesma dos medicamentos convencionais e devem ser registrados no Ministério da Saúde antes da comercialização.

0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO