Diabetes Infantil


O Diabetes Infantil vem crescendo em todo o mundo devido ao aumento da obesidade associada aos maus hábitos alimentares e sedentarismo. Dados da International Diabetes Federation (IDF) indicam que há cerca de 7,6 milhões de pessoas com diabetes, no Brasil.
            Quando ocorre uma alteração do hormônio insulina produzido pelo pâncreas ou a resistência à ação da insulina pelo corpo, teremos o inicio do diabetes.
A insulina é muito importante para o corpo, pois ajuda o organismo a transformar o açúcar consumido em energia para realizar as atividades diárias. Com a falta de insulina o corpo não consegue transportar toda a glicose necessária para dentro da célula resultando em falta de energia para o corpo. 


De [ Dicas de Nutrição ] para uma Vida Saudável!

Os principais sintomas do diabetes infantil são:

-          Indisposição
-     Cansaço
-          Sentir muita fome
-          Urinar mais que o normal (como conseqüência da ingestão excessiva de água)
-          Sentir muita sede (a criança passa a beber mais água que o normal e, mesmo assim, continua sedenta)
-          Dificuldade de cicatrização
-          Perda de peso (apesar de um notório aumento de apetite, a criança não engorda e ainda passa a perder peso)
-          Tremor
-          Taquicardia
-          Diminuição do combate à infecções
-          Câimbras e formigamentos
Fique atento. Caso seu filho apresente alguns destes sintomas procure um médico.

Para a criança que já tem o diagnóstico de diabetes, os pais devem ensinar a criança a falar para um adulto sempre que sentir algo diferente/estranho em seu corpo. Além disso, devem conversar com os professores para que fiquem atentos ao seu filho durante a aula e não façam com que o aluno apresente trabalho ou faça prova durante uma hipoglicemia, pois o rendimento com certeza será prejudicado.
Existem os diabetes tipos 1 e 2, onde um necessita de injeção de insulina para regular a glicose do organismo e o outro é hereditário e ocorre pela resistência das células à ação da insulina, respectivamente.
O diabetes tipo 1 é mais comum entre crianças de 5 a 8 anos e adolescentes e faz com que esta tenha uma vida mais controlada em relação à alimentação e exige aplicação de insulina e monitoração diária da glicemia.
Especialistas alertam para o aumento de diabetes tipo 2 (é considerado o diabetes de adultos) entre as crianças por causa do aumento do sedentarismo e má alimentação.
A prevenção da doença pode ser feita desde o nascimento com o aleitamento materno, dispensando alimentos desnecessários nesta fase; hábitos alimentares saudáveis com uma dieta rica em fibras, pobre em açúcares e fracionada em 6 refeições diárias e a prática de atividades físicas.
Para a criança que já tem diabetes recomenda-se que nas festas de aniversário os pais levem doces diet para que ela não fique com vontade ao ver os amigos comerem os doces servidos. Já em casa, a família toda deve adotar a dieta para que a criança diabética não passe vontades ou precise aplicar doses extras de insulina pelo consumo exagerado de carboidratos.
Na lancheira, sempre deve estar presente sanduíches naturais, frutas, barra de cereal diet e suco diet. A escola deve apoiar os alunos diabéticos e as crianças precisam resistir à oferta de doces e refrigerantes das cantinas.
O exercício físico é muito importante para a criança portadora de diabetes e a glicemia deve ser monitorada antes e após as atividades que devem ser feitas em horários programados.
Para o tratamento do diabetes há variadas condutas e o fornecimento de medicamentos e insumos é gratuito pelos Estados ou Municípios, garantido pela Constituição Federal. Para saber onde e como retirar, as quantidades ou tipos fornecidos dirija-se a uma unidade do SUS próxima a sua residência.
No caso de a criança apresentar hipoglicemia forneça alimentos ricos em carboidratos como suco de laranja, doce não dietético ou refrigerante. Evite chocolates, leite e derivados porque demoram para aumentar a glicemia.
Já para a hipoglicemia aumente o consumo de água, chás de ervas, sucos dietéticos para evitar a desidratação e não deixe que a criança fique sem se alimentar.
O mais importante é que os pais aprendam a ler os rótulos dos alimentos para saber o que está fornecendo para a criança consumir e preferir os alimentos diet que são próprios para este público e integrais.
O diabetes não tratado pode causa, em longo prazo, perda de visão, infarto, hipertensão, derrame, doenças pulmonares, insuficiência renal e amputação de membros.
É importante realizar exames periódicos, controlar o peso e colesterol e realizar exercício físico.
Procure um nutricionista para orientar a alimentação de seu filho.

Dúvidas:

 Fontes: 

0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO