Como ter uma alimentação saudável?

Por Adriana Ávila

Acho que nunca se falou tanto sobre alimentação saudável como agora. Tem sempre alguma matéria nos jornais, nas revistas e nos programas de TV. Mas, vem aquela pergunta que não cala para todos nós nutricionistas. Por que vemos cada vez mais pessoas com excesso de peso, com diabetes, pressão alta e/ou colesterol elevado? Estamos errando ou deixando de fazer alguma coisa?

Sabemos que trabalhar com a alimentação é muito mais do que querer suprir o organismo das pessoas com minerais, vitaminas, proteínas, gorduras, carboidratos, fibras e água.

Também é trabalhar com os hábitos, atitudes e escolhas alimentares que os nossos pacientes, e nós mesmos, fazemos diariamente.

Sinto que precisamos transmitir os conhecimentos de nutrição adquiridos ao longo do tempo, mas temos que ouvir mais os pacientes do que falar todo o tempo.

Temos que ensinar as pessoas a tirarem o máximo proveito possível que uma alimentação completa, gostosa, colorida, saborosa e nutritiva possa dar a ela e a sua família.

Assim, quando estamos no nosso consultório devemos:

  • Conhecer como é a vida do paciente, o seu dia a dia: Quem é a pessoa que está na nossa frente;
  • Quais as experiências que ela teve com alimentação: boas e más;
  • Como é a alimentação dela e como ela gostaria que fosse;
  • Quais as refeições, alimentos e suas quantidades, que fazem parte do hábito alimentar dela.

Depois que tiramos essa “foto” vamos revelar à pessoa, que nos procurou para ser ajudada e que vai nos ajudar também, como está a situação alimentar dela. Primeiro vamos elogiar o que ela faz de certo (Quem não gosta de ser elogiado?). Depois vamos pontuar o que pode ser melhorado para que ela tenha mais benefícios à sua saúde. Devemos trabalhar com a idéia do que ela vai ganhar em termos de saúde, bem estar e mais auto-estima (Quem não gosta de se sentir mais leve, mais bonita, de receber elogios inclusive dela mesma?).

Para ajudar a pessoa a organizar melhor a alimentação dela e da família podemos trabalhar com cardápios, receitas, oficinas de nutrição, treinamento do responsável pelo preparo da alimentação, acompanhar durante as compras de gêneros. Enfim, vejam a riqueza de recursos que nós nutricionistas temos para ajudar as pessoas.

Temos que dar instrumentos para que a pessoa adquira a competência para gerenciar a sua própria alimentação, pois a pessoa não faz dieta para a nutricionista e sim para ela mesma. Ela é o elemento principal dessa peça!

Eu continuo usando a palavra dieta com tranqüilidade, mas há quem prefira reeducação alimentar. Não importa o nome que se dê, o fundamental é que trabalhemos junto com a pessoa que nos procura. O nutricionista deverá montar uma dieta para a pessoa e não para ele próprio.

Vamos respeitar as crenças, os pensamentos e os sentimentos que as pessoas trazem com elas, pois tudo isso refletirá nas atitudes e em como elas se relacionam com os alimentos.

Enfim, continuemos o nosso trabalho missionário!

Imagem: http://blog1.aprendebrasil.com.br

3 comentários:

Alexandre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Paula disse...

olá, gostei do post...e gostaria de saber se vc pode me indicar uma nutri neste perfil do post em Belém-Pará. Sinceramente, conheci apenas 1 e esta sumiu do mapa infelizmente. Gostaria de me consultar com uma nutri que queira tb fazer meu acompanhamento até meu objetivo final. Aguardo seu retorno.

2/3/11
Adriana Avila disse...

Ana Paula,
que bom que gostou do post!
Infelizmente não conheço nenhuma nutri em Belém do Pará. Tenho um amigo que é educador físico em Belém. Vou mandar um e-mail para ele para ver se ele conhece alguma com esse perfil. Te dou retorno assim que souber.
Boa sorte e tenho certeza que atingirá o seu objetivo final!!
Abraço.
Adriana

3/3/11

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO