Tipo de Copos e Taças

Por Nicolas Gonçalves

clique na figura para ampliar

Cultuados desde épocas antigas, talvez como a própria humanidade, os copos continuam tendo uma importância muito grande para o saborear profundo de bebidas nobres – da água ao vinho. Seus desenhos e formatos variados fizeram de sua fabricação uma verdadeira arte, aprimorada através dos tempos. Um dos ingredientes básicos para a produção do vidro é a areia, com grande proporção de sílica. Para a completa execução deve-se acrescentar cal ou algum outro agente endurecedor. Esta mistura produz um líquido pastoso. Que pode ser manipulado quando começa a esfriar.

Até o ano de 1400 usava-se nas mesas, apenas um copo, que passava de “boca em boca” entre os convidados. No século XV, cada convidado já tinha à sua disposição dois copos, um para água e outro para vinho.

Com o passar dos séculos, o uso do copo refinou-se ainda mais a ponto de exigir para líquidos diferentes diversas formas de recipientes.

Ainda hoje muitas mesas são compostas de quatro copos – um para água, e os outros três, para vinho tinto, branco, e o champanhe.

Atualmente a civilização do “saber beber” nos sugere uma extrema variedade de formas de copos destinados, cada um, a um uso particular.

Na verdade, não há maior estímulo ao prazer de beber do que segurar, entre as mãos um belo copo. Não são poucas as vezes que se ouve a expressão “neste copo a bebida fica mais gostosa”. Realmente, existem bebidas próprias para serem tomadas em determinados copos e devemos respeitar tais regras, contanto que elas não nos levem ao exagero.


Os Copos e Seu Uso

Cada tipo de vinho tem o seu copo, entretanto é perfeitamente possível servir essa bebida num único tipo de copo, o Tulipa de Bordeaux, que pode abrigar os vinhos Cave d’Aubigny branco, tinto e rosé ou o Kastelwein branco tipo Reno.

De cristal ou vidro transparente, deve ter pé e acomodar uma boa quantidade de bebida. Sua forma de bulbo, fechando um pouco na boca, permite a percepção do “bouquet”.

Talvez o copo mais tradicional seja o copo de conhaque. Para saborear o mais nobre dos destilados usa-se o copo Ballon, cuja forma é tão conhecida que constitui o próprio símbolo do conhaque. Sua base esférica, adapta-se perfeitamente à palma da mão, da qual recebe calor suficiente para acentuar o aroma da bebida. A boca relativamente estreita, retém o precioso aroma, que realça as qualidades do conteúdo antes mesmo que o paladar o confirme.

Fica muito difícil imaginar uma dose de Amaretto dell’Orso, Bénédictine, Gala ou outros licores Stock servidos em copos grandes. Esses licores especiais devem ser servidos em copos adequados, de preferência cálices com pé.

Em função de sua composição adocicada devem ser tomados em pequenas quantidades, razão pela qual se bebe em copos pequenos. Mas se você preferir tomar seu licor com gelo, pode aumentar um pouco a dose e utilizar copos próprios para receber gelo, como os de aperitivo.

Para a maioria dos coquetéis que misturam bebidas, o copo deve ter a haste comprida o suficiente para proteger a taça do calor das mãos e o bojo bem aberto para facilitar a colocação de azeitonas e outros complementos. Para tanto o ideal é utilizar o copo Coquetel. Já o Campari deve ser bebido em copos de boca e base igualmente largas, próprios para bebidas que levam pedras de gelo, tal como o Old Fashioned. Este copo deve ser, necessariamente, transparente a fim de permitir a apreciação da cor da bebida. Essa bebida pode também ser servida em copos longos, porém sem pés, tais como o Collins e o Highball, quando for acompanhada de algum refrigerante ou mesmo suco de alguma fruta.

O whisky geralmente é bebido “on the rocks“, e portanto o copo mais indicado é o Old Fashioned que pode receber três ou quatro cubos de gelo, sem enchê-lo demasiadamente. O Gin Seager’s deve ser servido em copos longos como o Highball e o Collins, pois na maioria das vezes é misturado com algum tipo de refrigerante, especialmente tônica.

A Vodka Keglevich, quando saboreada pura, deve estar contida em copos pequenos, finos e com a base bem grossa, a fim de não esquentar a bebida que deve ser tomada bem gelada. Para as bebidas como o Vermouth e o St. Remy por exemplo, os copos mais adequados são os de Aperitivo, próprios para bebidas já geladas ou para 2 ou mais cubos de gelo.

Originalmente, a Taça foi criada em função do hábito francês de se mergulhar pedaços de biscoito no champanhe. Entretanto o copo mais adequado para se saborear esta bebida é o Flute, pois, seu formato alto e estreito retém melhor os gases da bebida e consequentemente conservam por mais tempo o seu “bouquet”. A variedade de formatos e estilos de copos disponíveis no mercado é muito grande, contudo não se deve esquecer que, qualquer que seja sua decisão é importante escolher copos de bordas finas, pois realçam o sabor das bebidas. Um bom jogo de copos, pode não custar muito barato, mas, sem dúvida, adaptam-se mais facilmente e com maior perfeição a diferentes situações.

Fonte:

0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO