Proteína e o Exercício físico

Mariana Anselmo Ramos

Em tempos modernos os comportamentos a cada dia mudam mais e mais. Se antes somente os homens praticavam musculação, em alguns anos as academias estão repletas de mulheres buscando um corpo definido e forte, mas claro que com belas curvas!
A falsa informação de que essa modalidade somente colaborava para o ganho de músculo entrou em decadência e hoje já se sabe que este exercício, devido ao ganho de massa magra, leva à queima de gordura, pois aumenta o gasto de calorias pelo corpo.
Desta forma, sempre existiu dúvida quanto à ingestão de proteínas pelos praticantes da modalidade: “Comer mais e mais proteínas colabora para o ganho de massa magra doutora?” É o que eu e muitos nutricionistas escutamos na nossa rotina de trabalho.
As proteínas são nutrientes formados por aminoácidos, sendo que nove destes são chamados de aminoácidos essenciais, ou seja, precisam ser ingeridos na alimentação, pois o corpo humano não produz por si só. Há aminoácidos que colaboram na produção de massa muscular e há aqueles que colaboram na degradação. Por isso o grande segredo é a superação de aminoácidos disponíveis pelo corpo com exercícios de força, sendo a musculação um deles.
Importante lembrar que a ingestão de cerca de 1,4g de proteína para cada Kg de massa corporal, leva ao ganho eficiente de massa muscular quando associado a musculação, mas quando supera-se 2,4g/Kg de peso não há mais efeito.
Outro fator muito importante é a produção de insulina, um hormônio que também colabora para a síntese de massa corporal, porém para uma produção eficiente precisamos da ingestão de carboidratos na dieta. Estes combinados com os aminoácidos fazem com que haja uma síntese mais eficiente de proteínas, principalmente após 1 a 2 horas do exercício. Período em que há maior concentração de síntese e degradação protéica.
Isto vem a lembrar que muitos esportistas elevam a concentração de proteínas da dieta para um efeito positivo no ganho de massa corporal indiscriminadamente com suplementos vendidos no mercado e diminuem a quantidade de carboidratos da dieta com medo de engordarem e ganharem “barriguinha”. Porém, quando não há ingestão de carboidratos na dieta suficiente, as reservas protéicas (de massa muscular) e os aminoácidos ingeridos na dieta e nos suplementos são convertidos em energia (pois as proteínas também fornecem energia). Perdendo todo o efeito que gostariam de ter!
Sabe-se também que quando a ingestão de proteína é superior à 4g/kg de peso corporal pode-se levar a um desequilíbrio na produção energética, comprometendo o ganho de massa corporal desejada.
Então, para uma dieta eficiente para ganho de massa corporal o nutricionista é seu melhor aliado! Este sim saberá a sua real necessidade.

Referências:
Oliveira, P. V. et al. Correlação entre a suplementação de proteína e carboidrato e variáveis entropométricas e de força em indivíduos submetidos a um programa de treinamento com pesos.

Revista Basileira de Medicina do Esporte V 12, n 1 , 2006.




0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO