Lixo doméstico. O que fazer?


Dra. Adrieli Barcelos – Nutricionista MG

Do total de resíduos descartados em residências e indústrias, apenas 4.300 toneladas, ou aproximadamente 2% do total, são destinadas à coleta seletiva. Quase 50 mil toneladas de resíduos são despejados todos os dias em lixões a céu aberto, o que representa um risco à saúde e ao ambiente. Segundo a última pesquisa de saneamento básico consolidada pelo IBGE, em 2000, o Brasil produz, cerca de 228,4 mil toneladas de lixo por dia. O chamado lixo domiciliar equivale a pouco mais da metade desse volume, ou 125 mil toneladas diárias.

Esse excesso se deve ao consumo de produtos industrializados que aumentou a poluição do solo, das águas e piorou as condições de saúde das populações em todo o mundo. A falta de conhecimento sobre os problemas gerados pelo acúmulo de resíduos resultou na negligência para com sua destinação. Mais da metade dos resíduos gerados é jogado em terrenos a céu aberto, à beira de estradas e até jogado nos rios.

As fronteiras da atuação do nutricionista como profissional da saúde, se ampliam no contexto da sustentabilidade, uma vez que não somente a saúde do ser humano é buscada, mas a saúde do planeta. Para mudar esse cenário, é necessário informar e educar a população para realizar escolhas inteligentes na compra de produtos, a reutilizar materiais, diminuir o volume de lixo de difícil decomposição, como vidro e plástico, evitar a poluição do ar e da água, otimizar recursos e aumentar a vida útil dos aterros. Portanto temos que desempenhar nosso papel na sociedade, então segue aí algumas dicas práticas para nosso dia-a-dia por um planeta melhor.

Em casa:

=Já em casa faça uma coleta seletiva. É muito simples: vamos separar nosso lixo seco e reciclável (papel, embalagens longa vida, latinhas e metais, plástico e vidro) do lixo úmido (restos de alimentação e papel de banheiros) não é necessário possuir recipientes próprios nem ter um para cada tipo, ter três ou mesmo quatro cestos para as principais matérias: papel, plásticos, vidro e lixo orgânico.

Outra opção, mais prática é distinguir apenas as embalagens recicláveis do restante lixo e separar os pacotes. Cabe, contudo, à família decidir a situação que mais se adapta à sua casa.

Não importa a forma de separação utilizada, há alguns procedimentos que devem ser tidos em consideração: procure saber se em sua cidade é realizado a coleta seletiva afinal não adianta separar e colocar ao lado do lixo comum se não houver a certeza do destino daquele material. Do contrário, seu esforço se perdeu.

Caso não haja comece uma mobilização para estimular a mudança prática de atitudes e a formação de novos hábitos em sua cidade, pois todos nós somos responsáveis pela preservação do meio ambiente.

As vantagens de separar o lixo:

ü A reciclagem de uma única lata de refrigerante, representa uma economia de energia equivalente a três horas com a televisão ligada;

ü O reaproveitamento de lata rende US$ 30 milhões por ano;

ü Uma lata pode resistir cem anos à ação do tempo;

ü Reciclar uma tonelada de alumínio gasta 95% menos energia do que fabrica a mesma quantidade;

ü Uma tonelada de papel reciclado poupa 22 árvores do corte, consome 71% menos energia elétrica e representa uma poluição 74% menos do que na mesma quantidade;

ü Para cada garrafa de vidro reciclada é economizado energia elétrica suficiente para acender uma lâmpada de 100 Watts durante quatro horas;

ü A reciclagem de 18.679 toneladas de papel, preserva 637 mil árvores;

ü No Brasil, cada habitante descarta 25 quilos de plástico por ano, cinco vezes menos que os americanos, um dos maiores consumidores do mundo;

ü A reciclagem de 6.405 toneladas de metal, preserva 987 toneladas de carvão.

Curiosidades:

ü Cada pessoa consome 2 árvores por ano em papéis (para escrever, guardanapos, embrulhos, etc) ;

ü Cada pessoa gera 10 vezes seu próprio peso em refugos domésticos por ano;

ü Cada pessoa descarta 45 kg de plástico por ano;

ü Somente 1% da água doce do planeta pode ser usada para consumo humano;

ü O vidro jogado no solo nunca mais se decompõe;

ü O plástico leva 450 anos para se decompor;

ü O Brasil recicla 78% de alumínio, e na natureza levaria de 200 a 500 anos para se decompor;

ü A garrafa PET pode ser transformada em fibras para roupas e vassouras.

ü Pratique: Regras dos 4 Rs.

ü Repensar: no Meio Ambiente.

ü Reduzir: gerar menos lixo evitando desperdício. Ex: utilizar a frente e o verso do papel para escrever.

ü Reutilizar: usar o lixo antes de descartá-lo, para a mesma função ou utilizá-lo de outras formas. Ex: usar garrafas de plástico, de vidro para fazer vasos, guardar grãos.

ü Reciclar: aproveitar produtos jogados no lixo para a fabricação de novos objetos. Separar para a reciclagem, pois, na verdade, o indivíduo não recicla (a não ser os artesãos de papel reciclado). Ex: O plástico usado em bolsas e soro pode dar origem a canos de PVC.

“RECICLAR É QUANDO O LIXO DEIXA DE SER TRANSTORNO E

TRANSFORMA EM RETORNO”

Onde deixar: Baterias, aparelhos de celular e acessórios: As operadoras Vivo, Claro, Tim e Oi recebem em todas as lojas aparelhos, baterias e acessórios de qualquer modelo ou operadora. Não é preciso ser cliente para depositar os resíduos.

Pilhas: Uma resolução do Conama determina que, a partir de novembro de 2010, fabricantes de pilhas e baterias serão responsáveis pela coleta. Enquanto os revendedores não aderem à lei, é possível depositar o material usado nas agências do Banco Real, que disponibiliza os coletores "Papa-Pilhas". Outra opção são os 500 coletores verdes da Comlurb espalhados pela cidade. Para conferir os endereços, basta acessar o site da Comlurb (http://www.rio.rj.gov.br/comlurb/), clicar na aba "Serviços" e depois na opção "Cestas Coletoras de Pilhas e Baterias".

Equipamentos eletrônicos: Comitê para a Democratização da Informática (CDI) - recebe computadores e periféricos em estado de funcionamento e usa o material doados em programas de inclusão digital. As máquinas devem ter processador Pentium III ou superior, com HD e memória. Também são recebidos scanners, impressoras e laptops com fonte e com as mesmas especificações mínimas do computador. Para saber qual CDI mais próximo, o interessado deve ligar para 3546-6570 ou mandar e-mail para cdirj.doacao@cdi.org.br. Em grandes quantidades, eles buscam os equipamentos.

Dell - O fabricante de computadores recolhe, recondiciona e doa equipamentos para projetos de inclusão digital. Para saber os locais de recebimento, o site é www.pensamentodigital.org.br. A Dell também tem outro projeto, que é global e recolhe computadores e destina para parceiros ambientais. Basta entrar no site www.dell.com/recycling e clicar na bandeira do Brasil.

HP - Recolhe baterias de notebooks, calculadoras e outros produtos da marca HP. A coleta deve ser solicitada no site www.hp.com.br/baterias. As baterias também podem ser entregues na rede de assistência técnica. Também há o Programa Planet Partners, que faz a coleta de cartuchos e toners para a reciclagem junto a clientes corporativos e usuários domésticos. Mais informações pelo e-mail reciclagem@hp.com. É importante informar o modelo do seu equipamento, a quantidade e a localidade onde se encontra.

Fonte:

Canon - Mantém programa de reaproveitamento de impressoras com coleta na rede de assistência técnica (www.canon.com.br).

Portal do Cidadão: http://www.portaldocidadao.pt/PORTAL/pt/Dossiers/DOS_o+que+fazer+ao+lixo+dom++233+stico.htm?passo=2

O Globo: http://oglobo.globo.com/rio/debemcomorio/mat/2009/08/31/saiba-que-fazer-com-seu-lixo-767394035.asp


IBGE: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/pnsb/lixo_coletado/lixo_coletado110.shtm

0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO