Linhaça como consumir


Por Dra. Viviane Souza Silva

A linhaça é considerada um alimento funcional, pois, além de ter suas propriedades nutricionais básicas, tem propriedades preventivas graças aos compostos antioxidantes e anticancerígenos. 

A semente da linhaça é um alimento rico, pois possui em sua composição química cerca de 30 a 40% de lipídio, 20 a 25% de proteína, 20 a 28% de fibra dietética total, além de vitaminas A, B, D e E, e minerais como potássio, fósforo, magnésio, cálcio e enxofre. O seu alto teor em potássio é cerca de sete vezes maior que o da banana. A vitamina E está presente na linhaça e atua como um antioxidante biológico, apresentando uma importante prevenção da destruição das células. 
A composição de aminoácidos encontrada na proteína da linhaça é comparada ao da proteína de soja, sendo uma das mais nutritivas proteínas vegetais. A linhaça é um grão rico em ácido α – linolênico (Omega 3) e, em menor quantidade, linoleico (Omega 6), eles são necessários para manter sob condições normais, as membranas celulares, as funções cerebrais, a transmissão de impulsos nervosos, além de participarem da transferência do oxigênio atmosférico para o plasma sanguíneo, da síntese da hemoglobina e da divisão celular. 

A fibra alimentar da semente de linhaça apresenta boa proporção entre a fibra solúvel e fibra insolúvel, seu consumo está associado com menor incidência de doenças, entre elas câncer de cólon e de reto, câncer de mama, diabetes, arteriosclerose, apendicite, hemorróidas, entre outras. Porém, cuidado! A inclusão da semente de linhaça na alimentação deve ser feita de forma gradativa e regular. Por isso não é só comer apenas um dia e achar que está tudo resolvido! Deve-se consumi-la diariamente.

0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO