Cuidados durante a Gestação


Dra Mariana Anselmo Ramos – Nutricionista CE


 
A gestação é um momento da vida que só as mulheres possuem o prazer de possuir! Este é repleto de alterações hormonais, emocionais, corpóreas/estéticas; que fazem com que a mulher tenha comportamentos diferentes no cotidiano.
Desta forma, a ingestão alimentar é uma das mais afetadas! No primeiro trimestre observa-se a baixa ingestão, pois há presença  de alterações gastrointestinais, onde a mulher na maioria das vezes (não é regra), possui náuseas e vômitos matinais principalmente. Ocasionando muitas vezes a perda ponderal, porém esta perda pode ser “compensada” se houver uma ingestão alimentar adequada nos próximos trimestres, não ocorrendo prejuízos ao ganho de peso do bebê.
No primeiro trimestre não é recomendável nenhum adicional calórico na dieta da gestante, já que o feto praticamente não ganha peso, ou seja, não exceda nas guloseimas, carboidratos simples, refrigerantes e afins. Mantenha uma alimentação parecida com a antiga nas porções e caso a qualidade não seja muito apropriada, incorpore frutas, sucos de frutas sem açúcar, alimentos integrais, verduras, legumes, carnes brancas cozidas e grelhadas. Caso consiga e seja adepta à atividade física, continue praticando, mas sempre com a orientação e acompanhamento de um educador físico.
Importante lembrar, que para a amenização dos enjoos matinais, basta comer antes de levantar da cama algum alimento seco, como cereal de milho sem açúcar e cream-cracker. Picolé de limão também ajuda muito no controle dos enjoos!Além disto, evite roupas apertadas, levante a cabeceira da cama, use travesseiro alto, evite molhos picantes, comidas ácidas, refrigerantes, frituras, bebidas com cafeína. Todos esses são irritantes da mucosa gástrica.
Nos demais trimestres, um certo adicional será necessário, principalmente no terceiro. Porém, este dependerá do Índice de Massa corporal pré-gravídico da gestante. Quanto maior, menor será o seu adicional de calorias na dieta, porém mesmo que a gestante esteja obesa ou em sobrepeso, esta NUNCA poderá perder peso, pois gestação é período anabólico e não catabólico. Uma gestante obesa necessita de um plano alimentar adequado a suas necessidades específicas e acompanhamento, de preferência, quinzenal com o nutricionista. Para que o seu ganho ponderal seja monitorado e não haja intercorrências associados ao excesso de peso, como diabetes gestacional e pré – eclampsia, eclapsia, síndrome help e partos pré-maturos.
É também, de estrema importância que a gestante independente do seu estado nutricional, alimente-se de 3 em 3 horas. Evitando lipólise (quebra de gordura) e assim a produção de corpos cetônicos, produto tóxico ao bebê.




0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO