Vigorexia ou Transtorno Dismórfico Muscular



 
Quem possui este distúrbio busca tornar o corpo magro e musculoso a qualquer preço, mesmo lhe trazendo prejuízos futuros. Apesar de ser mais comum entre homens, ela também pode ser vista em mulheres, sendo mais comum seu início na adolescência, período onde a insatisfação corporal é mais comum.

As academias normalmente são os lugares preferidos dos vigoréxicos, onde eles realizam exercidos físicos excessivamente, pesam-se várias vezes ao dia e chegam a comparar sua musculatura com a de seus colegas. Com frequência, fazem uso de esteróides e anabolizantes em busca de resultados imediatos.

Além disso, há uma preocupação excessiva com a alimentação: restringem ao máximo as gorduras e aumentam exageradamente as proteínas.

No perfil psicológico, encontramos o sentimento de inferioridade, retração social e timidez que fazem com que a pessoa busque se afirmar através de um corpo belo. Apesar de serem musculosos, se sentem internamente enfraquecidos e insatisfeitos – um indicativo a obsessão da beleza física em busca da perfeição, dos quais se transformam em doenças emocionais, acompanhadas de ansiedade, depressão, fobias, atitudes compulsivas e repetitivas (olham-se constantemente ao espelho) conduzindo-os ao chamado Transtorno Dismórfico Corporal.

A vigorexia causa um desgaste corporal e mental e suas consequências são semelhantes às do estresse, tais como: insônia, desinteresse sexual, falta de apetite, Irritabilidade, fraqueza, cansaço, dificuldade de concentração, entre outros. Além disso, são também frequentes os problemas físicos e estéticos, como desproporção dos membros, problemas ósseos e articulares e falta de agilidade.

A questão torna-se mais problemática com o uso de anabolizantes, pois aumentam os riscos de doenças cardiovasculares, disfunções sexuais e hepáticas, além de diminuírem o tamanho dos testículos e aumento do risco ao câncer de próstata.

É desejável que as pessoas se preocupem com o próprio físico, desde que não se torne uma obsessão a ponto de prejudicar outros setores da vida. Reconhecer as pressões estéticas impostas pela sociedade e saber lidar com elas de maneira saudável é a chave para evitar doenças como a vigorexia e outros distúrbios da imagem corporal.

0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO