Alimentação Equilibrada e Funcional


O papel da alimentação equilibrada na manutenção da saúde tem despertado interesse pela comunidade científica que tem produzido inúmeros estudos com o intuito de comprovar a atuação de certos alimentos na prevenção de doenças1. De acordo com a ANVISA, o alimento ou ingrediente que alegar propriedades funcionais, além de atuar em funções nutricionais básicas, irá desencadear efeitos benéficos à saúde e deverá ser também seguro para o consumo1. Uma das definições mais completas descreve os alimentos funcionais como sendo aqueles que beneficiam uma ou mais funções orgânicas além da nutrição básica, contribuindo para melhorar o estado de saúde e bem-estar e/ou reduzir o risco de doenças2. Suas propriedades funcionais relacionadas à saúde podem ser provenientes de constituintes normais desses alimentos como no caso das fibras e dos antioxidantes encontrados em frutas, verduras, legumes e cereais integrais. 
Não obstante, deve-se levar em consideração que a capacidade desses alimentos de influenciar a saúde humana depende também de vários outros fatores, como interações com outros componentes da dieta, da biodisponibilidade e da quantidade consumida além da regularidade.
No Brasil, já são vários os alimentos funcionais presentes no mercado: além dos
iogurtes com probióticos que melhoram a saúde intestinal, podemos citar leites enriquecidos com ferro (que ajuda na prevenção e no tratamento da anemia), com vitaminas e com o ácido ômega-3 (que ajuda no controle do colesterol), bem como ovos e margarinas enriquecidos também com ômega-3. O setor da água mineral não ficou fora do movimento e ingressou recentemente no mercado das bebidas funcionais, oferecendo águas que contêm alta concentração de vitaminas C e do complexo B, a fim de fortalecer o sistema imunológico, ou que contêm a fibra FOS (frutooligossacarídeo) e prometem contribuir para a prevenção dos cânceres de mama e de cólon e para a redução dos riscos de doenças cardiovasculares, além de regular o intestino3.
Um ponto que vale a pena ser comentado é o fato de alguns alimentos industrializados possuírem concentrações muito baixas dos componentes funcionais, sendo necessário o consumo de uma grande quantidade para a obtenção do efeito positivo mencionado no rótulo, além de que normalmente os produtos industrializados com ação funcional serem mais caros. Assim, é de fácil conclusão que o produto contendo a substância funcional não substitui de maneira alguma o alimento completo. Ainda em relação aos produtos industrializados com caráter funcional, é importante esclarecer que o simples consumo desse tipo de alimento, com a finalidade de obter um menor risco para o desenvolvimento de doenças, não atingirá o objetivo proposto se não for associado a um estilo de vida saudável, o que inclui a prática de atividade física.
Por fim, considero que uma boa alimentação é aquela que alia as necessidades de nutrientes essenciais com fontes de alimentos funcionais. Isto pode ser obtido através de uma alimentação amplamente variada, contendo frutas e verduras em boa quantidade (4 a 5 porções/ dia), moderando, porém, o total calórico e de gorduras 4. Ressalta- se também que nenhum alimento isolado deve ser ingerido em detrimento de outros para prevenir uma doença específica. Diferentes alimentos fornecem diferentes substâncias vitais para a saúde. Portanto, uma dieta alimentar variada é essencial2.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. BADARÓ, A. C. L. Alimentos probióticos: aplicações como promotores da saúde humana – parte 1. – Revista Digital de Nutrição, 2008.
2. CARVALHO, G.B.  et al. Hortaliças como alimentos funcionais. Horticultura Brasileira, 2006.
3. RAUD, C. Os alimentos funcionais: a nova fronteira da indústria alimentar análise das estratégias da danone e da nestlé no mercado brasileiro de iogurtes. Revista de sociologia e política, 2008.
4. ANGELIS, R. C.  Novos conceitos em nutrição. Reflexões a respeito do elo dieta e saúde. Arquivo de Gastroenterologia, 2001.

0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO