Importância da Reeducação Alimentar


por Dra. Andrea Gonçalves Neves – Nutricionista RS


Os principais fatores para o surgimento da obesidade:

  • 25% são atribuídos a herança genética;
  • 30% à transmissão cultural (relacionada a hábitos e práticas alimentares de origens regionais, étnicas, religiosas, etc);
  • 45% à fatores ambientais não transmissíveis (influência do meio onde o indivíduo vive), segundo alguns estudos recentes.

Sendo assim fica claro que nossos hábitos de vida e de alimentação, são os maiores responsáveis pelo surgimento da obesidade, superando a predisposição hereditária que possamos trazer. Uma alimentação baseada em práticas inadequadas (excesso de massas e gorduras, baixo consumo de vegetais e frutas), aliada a uma vida sedentária, resulta, fatalmente, em peso excessivo e saúde instável.

           
·         Todas as dietas devem ser balanceadas e compostas de proteínas (carne de gado, aves, porco, peixe, leite, queijos, ovos), carboidratos (pão, arroz, feijão, massas, batatas, bolachas) e gorduras (manteiga, margarina, azeite e óleos vegetais). Estes alimentos devem ser consumidos moderadamente.
·         O CAFÉ DA MANHÃ é a refeição mais importante do dia. Deve ser completo e conter líquidos, como o leite ou suco de frutas. Deve ser energético, pois durante o dia vamos gastar calorias, por isso o pão, de preferência integral, e o queijo, de preferência branco. A presença de fruta é indispensável. Existem várias opções light (margarina, requeijão, iogurte) para começar o dia de forma leve e saudável.
·         Bebidas: água e chás (exceto os termogênicos e laxativos) á vontade. Sucos e iogurtes com moderação de 2 a 3x/dia.

OPS: Comer frutas e verduras todos os dias, em quantidades suficientes, e assim, diminui a absorção do colesterol e aumenta o gasto energético com a digestão dos alimentos, ajudando a emagrecer. 
·         Preparar os legumes e verduras de sua refeição e de sua família de maneira atraente, bonitas e coloridas.
·          Para temperar a salada use limão ou azeite de oliva extra-virgem.
·          Dar preferência, primeiro a salada, e após o feijão, arroz, carne. Sempre em menores quantidades do que estava acostumado a comer.
·         Para preparar os alimentos, use óleo vegetal, de soja, de milho, de arroz, canola, de girassol em pequenas quantidades.


·         EVITE FRITURAS. A absorção de alimentos expostos às frituras é muito alta.
·         Evitar o alto consumo de sal, principalmente o sal de mesa, pois o sódio contido no sal de cozinha pode levar a hipertensão.
·         Evitar doces, refrigerantes. Quando você tiver vontade de comer doces, procure saciá-la com frutas, salada de frutas e gelatinas dietéticas, principalmente se for após as refeições principais (almoço e janta).
  • Procurar fazer de 5 a 6 refeições diárias, com intervalos de 3/ 3hs, sendo um n° maior de refeições e um volume menor de alimentos;
  • Reduza gradativamente a quantidade de açúcar que você adiciona a sucos, café, leite, vitaminas; com o tempo poderá sentir necessidade de dispensá-lo de algumas preparações, como aquelas à base de frutas e leite, as quais já contêm o açúcar natural desses alimentos;
  • Leve pequenas quantidades de alimentos à boca de cada vez, procurando mastigar lentamente, sentindo bem o sabor de cada preparação;
  • As gorduras em geral também devem ser reduzidas; refogue os alimentos com a mínima gordura possível ou substitua por outros alimentos de menor valor calórico como, por exemplo, use iogurte no lugar de maionese e requeijão light para patês;
  • Não descuide da quantidade de água que você ingere durante o dia (mínimo 2 l/ dia); a água também é um alimento e tem uma importante função reguladora do organismo, auxiliando até no funcionamento intestinal;
  • Dê preferência às massas pobres em gorduras e açúcares; utilize mais fibras através de pão integral, biscoito integral, granola, etc;
  • Aumente sua atividade física, buscando praticar exercícios regulares, mínimo, 3x/ semana;
·         É muito importante observar o horário das refeições.
·         A ELIMINAÇÃO DOS CARBOIDRATOS pode levar à diminuição do crescimento e à insuficiência energética.
·         O EXCESSO DE PROTEÍNAS pode provocar insuficiência renal.
·         O EXCESSO DE GORDURAS pode levar a arteriosclerose, infartos e derrames cerebrais.
A educação alimentar associa-se ao plano alimentar, que é fundamental, e ao exercício físico, que é complementar. Uma vez conseguido o resultado desejado, torna-se indispensável o tratamento de manutenção, sem o qual a pessoa corre o risco de engordar.

0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO