REFRIGERANTE QUANTIDADE RECOMENDADA




Dra. Flavia Francellino - Nutricionista SP



Para quem já passou pela experiência de conviver com os padrões

alimentares norteamaricanos, sabe que não trata- se de nenhum exagero.

Pontuar tais práticas como algo exagerado! Tanto procede que não apenas

a minha ótica, ou dos nutricionistas ou dos profissionais da saúde - e porque

não dizer da própria população - que o consumo das bebidas açúcaradas tem

ganhado proporção não apenas na América do Norte, mas em todos os lugares

que o fast food e o estilo de vida sedentário e pouco saudável tem ganhado

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg anunciou recentemente

que planeja proibir a venda de bebidas doces e refrigerantes com mais de

meio litro em restaurantes e salas de cinema, uma iniciativa sem precedentes

para combater a obesidade nos Estados Unidos. Esta informação foi noticiada

pelo portal Terra. Essa atitude estaria pautada sobretudo sobre a crescente

da obesidade e comorbidades sob a população aliada aos estudos que

demonstram que quando as porções são pequenas, consome-se menos.

Fez- se respaldo que há 30 anos a dose padrão para os refrigerantes

era 200 ml. Depois, aumentou para 350 ml e, mais tarde, para 470 ml. Hoje,

não é raro ver jovens americanos com copos de refrigerante de quase um litro.

Segundo o prefeito, mais da metade dos adultos de Nova York (58%) são

obesos ou estão acima do peso, e este problema também afeta 40% das

crianças das escolas públicas. O consumo de bebidas doces, com frequência

mais baratas do que a água mineral e cujos copos grandes não são tão mais

caros do que os pequenos, é uma das causas apontadas do problema. Ou

seja, a acessibilidade influencia no momento da escolha.

Sabemos que restriguir o consumo parte de uma considerada iniciativa,

mas que sobretudo o incentivo pela substituição e escolhas mais saudáveis

faria uma parceria (porque dizer) melhor sucedida. O problema não encontra-

se apenas na quantidade ingerida, mas sim, na qualidade daquilo que se

ingere, e, venhamos e convenhamos, quando se trata de bebidas açúcaradas,

não há qualidade alguma agregada, pois são compostos por substâncias como

acidulantes e corantes. Seja ela diet ou light, todos os refrigerantes tem algo

em comum: são desprovidos de valores nutricionais.

Não que deva ser declarado decreto pela proibição do consumo de

bebidas açúcaradas, mas se há consciência e possibilidades de escolhas,

preze por escolhas saudáveis. Até porque não há nada a perder com isso, ao

contrário, adquire- se saúde e melhor qualidade de vida.

0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO