PACIÊNCIA PARA COMBATER OBESIDADE

por Dra. Flavia Francellino - Nutricionista SP

Um artigo surpreendente do New England Journal of Medicine que reuniu um painel de especialistas, detonou muitas de nossas fortes crenças sobre a obesidade e perda de peso. 
O artigo diz que os interesses apaixonados e a tendência humana de buscar explicações para os fenômenos observados na experiência cotidiana dos homens contribuem para a formação de fortes convicções sobre a obesidade, apesar de muitas dessas conclusões não serem confirmadas cientificamente. Até aí, nenhuma novidade! No restante do trabalho, o artigo trata dos "mitos", "presunções" e "fatos" sobre a obesidade, dentre os quais alguns desses assuntos você deve ter lido ouvido diversas vezes. Apenas as conclusões são o oposto do que você está acostumado a ler em muitos lugares ou ouviu dezenas de vezes. Um dos mitos que mais me chamou a atenção – e olha que eu estava apenas no item 3! – dizia: “Devagar e sempre: assim você ganha a corrida contra a obesidade.” É verdade que o que mais vemos por aí é gente querendo emagrecer milagrosamente para adentrar em um vestido; pessoas que fazem as maiores loucuras em busca da estética, e, para mim, artifícios assim são sempre errados. Emagrecer para estar bem consigo mesma é necessidade quando se preza primeiramente pela sua saúde e se coloca em pauta qualidade de vida. Bato absurdamente neste tecla! Mas é bem verdade que há necessidade muito mais específica quando se prevê o tratamento da obesidade – encarado como, maioria das vezes, situação de urgência. Perda de peso vai contra os hábitos adquiridos ao longo da vida, muita das vezes. Desafia a questão genética, muita das vezes. Implica mudanças e atitudes drásticas, em algumas vezes. E sabemos que, por vezes, há resistência. Resistência ao novo, à mudanças alimentares, à prática de atividades e enfim. Sim, leva tempo. E muita força de vontade. E perseverança, muita mesmo! E a pergunta que não quer calar: qual é o limite? Sabemos que os impactos podem ser tão grandes que não resta tempo para simpatia. Por isso, não se torne amiga de seu problema, não seja conivente. Devagar e sempre pode implicar comodidade. Aceitação. Perpetuar estados, e isto é inadmissível! Não se ganha uma corrida no devagar quase parando: não há tempo para esperar. E então, tá esperando o quê? Mudanças foram programadas para serem provocadas. Faça algo a respeito. Procure um nutricionista.

0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO