Excesso de lanches podem estar contribuindo para o aumento da obesidade infantil

Esta semana foi exibido aqui no Blog [Dicas de Nutrição] matérias sobre Ganho de Peso e Receitas Calóricas para crianças, porém, precisamos também dá atenção a obesidade infantil, pois uma criança acima do peso tem como consequências diversas doenças: pressão alta, diabetes, colesterol e triglicerídeos alterados, baixa estima, etc..
A psicóloga Luciana Kotaka exibiu dados importantes em seu blog Comportamento Magro, sobre obesidade infantil, veja abaixo na íntegra:



Com tantas facilidades e variedades, os lanches acabam sendo uma rápida solução para pais que levam uma vida corrida e que são adeptos das facilidades que os fast foods oferecem.
Segundo Carmen Piernas e Barry Popkin, da Universidade de Carolina do Norte, as crianças comem lanches com tanta frequência que estão “se movendo em direção à alimentação constante”, informaram.
Nossa rotina alimentar deve constar de seis refeições, sendo três refeições completas, e três lanches intermediários. Os pais devem favorecer uma rotina alimentar desde cedo, oferecendo alimentos saudáveis, de forma equilibrada, para se instale de forma eficaz os hábitos alimentares. Pratos coloridos e bem arrumados, torna-se atrativo para as crianças.
Muitos pais não se preocupam quando a criança começa a engordar, pois acreditam que é apenas uma fase, e que ao entrar na adolescência ela esticará e ficará magra novamente.
As últimas estatísticas mostram que 30% das crianças, entre 6-19 anos de idade, nos EUA, estão com sobrepeso ou obesas, o que as coloca em um risco crescente para doenças crônicas, como doenças cardíacas, hipertensão arterial, diabetes e problemas emocionais na adolescência e idade adulta.
Os fatores emocionais também contribuem na prevalência da obesidade. Muitas crianças sofrem desde pequenas com comentários e rótulos que lhe são conferidos em função do sobrepeso e obesidade, sendo importante o acompanhamento do psicólogo nesse processo, como forma de resgate da auto estima, e canalização das emoções de forma a não interferirem na sua relação com a alimentação.

Luciana Kotaka
Especialista em Obesidade e Transtornos Alimentares
Curitiba-PR

2 comentários:

efeitoseconceitos disse...

Oi Kilza,
Infelizmente, hoje em dia isso é uma realidade.
Parece que os pais entregaram o comando de tudo para as crianças...Até a alimentação das mesmas e o resultado é esse: crianças obesas e com doenças que só os mais velhos antigamente desenvoviam.
Bjoka
Yoyo

19/3/10
Ministério da saúde disse...

Cara Dr. kilza,

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza H1N1 já começou. Vamos vacinar trabalhadores de saúde, população indígena, doentes crônicos, jovens saudáveis de 20 a 39 anos, além de crianças maiores de seis meses a menores de dois anos. Precisamos vacinar 91 milhões de pessoas e, para isso, contamos com a sua ajuda. Preparamos diversos materiais que podem ser usados em seu blog para ajudar o Brasil nessa tarefa tão importante.
Para mais informações sobre como se tornar um parceiro, escreva para fernanda.scavacini@saude.gov.br .

Atenciosamente,
Ministério da Saúde

19/3/10

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO