Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2010

Pólen, que alimento é esse?

Ontém (28/05/10) foi exibido no Globo Repórter, os benefícios do pólen, principalmente para o envelhecimento e na recuperação de energias.


O pólen é a comida de abelha. “O pólen é a principal fonte protéica da abelha. O néctar é a fonte de carboidratos, o pólen é a fonte de proteínas, minerais e lipídeos. Sem ele, o enxame não se desenvolve. Em poucos dias, três, quatro dias, ele pode definhar e morrer”, explica Lídia Barreto, do Centro de Estudos Apícolas da UNITAU


“O pólen no nosso meio é conhecido como bifinho verde. E ele tem uma composição físico-química básica de proteínas similar a um bife, em torno de 20%. Ele tem lipídeos. Esse lipídeo é um lipídeo muito bom com propriedades antioxidantes. É uma gordura, mas uma gordura boa”, destaca Lídia Barreto, coordenadora do Centro de Estudos Apícolas da UNITAU.
O pólen também é rico em vitaminas do complexo B, que ajudam, por exemplo, no funcionamento do sistema nervoso central, na prevenção e tratamento de cataratas.
A recomendação é inge…

Pipoca e cereais matinais podem diminuir o risco de câncer

Um estudo apresentado por cientistas da Universidade de Scranton, na Pensilvânia, comprovou que a pipoca e cereais matinais podem diminuir o risco de câncer e de doenças cardíacas. Isso porque eles possuem "quantidades surpreendentes" de polifenóis, substância antioxidante que remove os radicais livres, cuja ação pode danificar células e tecidos do corpo. Acreditava-se que os cereais eram alimentos saudáveis e ajudavam a combater o câncer e doenças cardíacas por causa de seu alto teor de fibra, mas segundo os autores do estudo, ninguém havia comprovado a alta presença de polifenóis. A quantidade de antioxidantes encontradas em cereais integrais é comparável à de frutas e legumes, por grama. Salgadinhos de grãos integrais têm ligeiramente menor quantidade de antioxidante do que os cereais matinais, mas dentre esses salgadinhos, a pipoca é a mais rica em polifenóis.
Fonte: Revista Viva Saúde 
Imagem: http://1.bp.blogspot.com

Fios de Pupunha à Carbonara

Ingredientes: 800 g  Pupunha São Cassiano Congelada em Fios 9   Gemas 280 g   Parmesão 200 ml  creme de leite 80 ml  gordura de bacon QS   sal e pimenta
Modo de Preparo: Rende 2 porções. Descongele o palmito congelado em fios São Cassiano. Corte o bacon em cubos pequenos, numa frigideira coloque o bacon e leve ao fogo baixo até que fiquem dourados e crocantes. Retire o bacon da frigideira com o auxilio de uma escumadeira e coloque no papel toalha. Reserve a gordura do bacon. Em um bowl, misture as gemas,o queijo, o creme de leite e a gordura do bacon. Cozinhe os fios de pupunha São Cassiano em água, até tomar a textura de um fetuccini  normal de massa.Reserve ½ xícara da água do cozimento do pupunha. Coe e transfira para uma frigideira aquecida, some um pouco de água ao cozimento, o sal e em seguida os ingredientes emulsionados. Salteie o palmito pupunha São Cassiano e o creme em fogo baixo, sirva em seguida salpicando os pedacinhos de bacon e a pimenta. Fonte: www.palmitopupunha.com.br

Nozes e Castanhas pode ajudar a reduzir o colesterol

Ingerir nozes e castanhas diariamente pode melhorar os níveis de colesterol e reduzir os riscos de doença cardíaca coronariana, segundo estudo publicado no periódico Archives of Internal Medicine.
Avaliando dados de 25 estudos sobre o consumo de castanhas e os níveis de colesterol em sete países, os pesquisadores da Universidade Loma Linda, nos EUA, descobriram que o consumo diário de cerca de 67 gramas de castanhas - incluindo amêndoas, avelãs, nozes, amendoim e pistaches - resultava em uma redução média de 5,1% no colesterol total, de 7,4% no colesterol ruim (LDL) e de 8,3% na taxa de LDL em relação ao HDL. Além disso, essa prática foi associada a uma redução de 10% nos triglicérides de pessoas que, inicialmente, apresentavam altas taxas dessa “gordura” no sangue. 
Imagem: www.acessa.com Fonte: Blog Boa Saúde
Segundo os autores, os diferentes tipos de castanha têm efeitos similares sobre o colesterol, mas esses efeitos seriam modificados dependendo dos níveis de LDL, índic…

Pastel de Soja

Ingredientes:
- 2 xícaras de Proteína Texturizada de Soja SoyVida
- 6 xícaras de água fervente
- 1 col (sopa) rasa de orégano
- 1 colher (sopa) rasa de sal
- 2 colher (sopa) de óleo de soja
- 1 cebola grande picada
- 2 colheres (sopa) de amido de milho
- 2 ovos cozidos picados
- 10 unidades de massa de pastel tamanho médio, da marca de sua preferência
Modo de Preparo: Hidratar o PTS em água quente por 15 min, após escorrer toda a água, espremendo bem para retirar o excesso. Em uma panela refoque a cebola no óleo de soja, o sal e o orégano. Acrescente a Proteína Texturizada de Soja SoyVida e o amido de milho para dar liga ao recheio. Desligue o fogo, junte os ovos picados e deixe esfriar. Coloque o recheio nas massas de pastel e frite em óleo quente. DICA: Se quiser, acrescente no refogado cenoura cozida ralada, espinafre cozido, palmito, azeitonas. Rendimento: Recheio para 10 pastéis
Tempo de preparo: 40min Receita sem lactose, sem açúcar, com glúten.
Veja também, a receita de Molho de…

Depressão e Chocolate

Uma pesquisa feita na Universidade da Califórnia em San Diego, nos Estados Unidos, verificou que mulheres e homens com depressão comem mais chocolate à medida que os sintomas do problema aumentam. Segundo eles, os resultados sugerem uma associação entre humor e o alimento à base de cacau. O estudo foi publicado na edição desta segunda-feira do periódico Archives of Internal Medicine.
“O estudo confirma uma suspeita antiga de que comer chocolate é algo que as pessoas fazem quando estão se sentindo por baixo”, disse Beatrice Golomb, professora associada de medicina da universidade norte-americana e um dos autores da pesquisa.
A pesquisadora ressalta que o objetivo do trabalho era analisar apenas uma possível associação entre o problema psíquico e o alimento e que, por conta disso, não procuraram observar se o consumo diminui ou intensifica o estado.
Os pesquisadores examinaram eventuais relações entre o consumo de chocolate e o humor em 1 mil adultos que não tomavam medicamentos…

É lançada a primeira linha de palmito pupunha congelado do mercado

Pré-cozido e 100% natural, o novo produto tem durabilidade de três meses e será comercializado em duas versões: picado e em fios
Com o título de Palmito Pupunha Gourmet, a São Cassiano é a marca utilizada por grandes chefs de cozinha, como Alex Atala, Bel Coelho, Claude Troisgros, Flávia Quaresma e Viko Tangoda.

Embalagens de 400g do pupunha congelado em fios e picado
Há 10 anos produzindo e comercializando Palmito Pupunha Gourmet in natura, a empresa São Cassiano lança no mês de agosto a primeira linha de palmito pupunha congelado do mercado. Pré-cozido e 100% natural, sem nenhum conservante ou aditivo químico, o novo produto chegará aos supermercados e empórios em duas diferentes versões: picado e em fios.
O pupunha congelado é embalado a vácuo e tem durabilidade de três meses, mantendo o sabor, a consistência e a textura originais do produto in natura. Para usar, basta descongelar o palmito e usar a criatividade, aproveitando também as deliciosas receitas das embalagens.
Ecologicamente…

O que são as isoflavonas?

As isoflavonas são compostos fenólicos presentes em grãos de soja e seus produtos derivados, como a farinha (kinako), o tofu (queijo de soja), o extrato solúvel ("leite de soja"), a proteína texturizada (PTS ou "carne" de soja), o missô, dentre outros. Sua funções têm sido associadas como benéficas para a saúde humana, devido às suas atividades anticarcinogênica, antioxidante, antifúngica, de redução da perda de massa óssea e colesterol sérico, além de sua propriedade estrogênica. O caráter estrogênico é atribuído ao fato de a estrutura química de seus componentes bioativos ser parecida com o hormônio feminino, o estradiol, que se encaixa com os receptores de estrógeno. Sendo assim, seus componentes são chamados de fitoestrógenos.

Os componentes das isoflavonas compreendem as formas estruturais não-conjugadas daidzeína, genisteína e gliciteína; a forma glicosilada, como a daidzina, genistina e glicitina; formas acetilglicosiladas (acetildaidzina, acet…