Anorexia Nervosa


A anorexia nervosa é uma disfunção alimentar de ordem psicológica caracterizada pela busca incessante pela magreza através de uma rígida e insuficiente dieta alimentar. As pessoas anoréxicas apresentam um medo intenso de engordar mesmo estando extremamente magras. Em 90% dos casos, acomete mulheres adolescentes e adultas jovens, na faixa de 12 a 25 anos. Tem sido enfatizada, em debates populares, a importância da mídia para o desenvolvimento de desordens como anorexia e bulimia, por alegadamente promover uma identificação da beleza com padrões físicos de magreza acentuada. A anorexia possui um índice de mortalidade entre 15 a 20%, o maior entre os transtornos psicológicos, geralmente matando por ataque cardíaco, devido à falta de potássio ou sódio (que ajudam a controlar o ritmo normal do coração).

Apresenta dois subtipos: restritiva e purgativa. A restritiva é caracterizada pela ingestão alimentar insuficiente ou nula. Já na purgativa, o indivíduo utiliza meios de expulsar os alimentos ingeridos sendo por uso de laxantes ou indução ao vômito.

As principais causas da anorexia consideradas hoje tem fundo genético: sugerido por estudos com irmãs gêmes. Influência dos pais: que geralmente apresentam níveis mais elevados de perfeccionismo e preocupação com a forma física. Comportamento exageradamente perfeccionista: busca por padrões de conquista e realizações notavelmente altos, necessidade de controle, intolerância a "falhas" ou "imperfeições". Alguns estudos sugerem que, apesar de uma inteligência média na faixa regular, anoréxicas possuem níveis mais altos de performance escolar e envolvimento acadêmico, o que sugere que o perfeccionismo nelas presente não se limita a temas relacionados apenas com comida e forma corporal. Outros traços obsessivos-compulsivos: notados na infância, principalmente inflexibilidade, forte adesão a regras estabelecidas, observação dos padrões mantidos por autoridades, dentre outros. Incidência de abuso físico ou sexual, especialmente na infância: experiências traumáticas, em especial se relacionadas à sexualidade, têm potencial desestruturante da personalidade, da auto-imagem e da auto-estima, podendo resultar em alterações da percepção sobre as mudanças corporais e psíquicas experimentadas durante fases de transição ao longo do ciclo vital.

Algumas conseqüências da anorexia são desnutrição, desidratação, amenorréia (ausência de menstruação) e infertilidade em casos crônicos, danos intestinais e renais (pelo uso excessivo de laxantes e diuréticos), anemia, queda no rendimento escolar, osteoporose, queda de cabelo, cáries, problemas cardíacos, constipação e obstrução intestinal.

O tratamento é feito por uma equipe que envolve psicólogo e/ou psiquiatra, médico e nutricionista. Além do aconselhamento psicológico o paciente terá tratamento farmacológico e acompanhamento nutricional que juntos são capazes de reverter o distúrbio alimentar tratando a mente, o corpo e o comportamento.

Foi divulgada hoje pela mídia a morte da modelo francesa Isabelle Caro, de 28 anos, internada por problemas respiratórios. A modelo, que era anoréxica desde os 12 anos, chocou em sua campanha antianorexia em 2007, ao posar nua para o fotógrafo italiano Oliviero Toscani. A campanha de Isabelle chegou aos outdoors durante a semana de moda de Milão e foi banida por um órgão regulador italiano.

Conheça outros Transtornos Alimentares

3 comentários:

Bia disse...

Perdi uma prima há 15 dias com esse distúrbio, ela ja era mais velha(42 anos), pra toda família foi um choque.

4/1/11
Dicas de Nutrição.com disse...

Meus sentimentos, essa doença é cruel e a cada dia acontece mais casos, bem próximos.

Obrigada pela participação, é muito importante!

5/1/11
Alessandra disse...

A medicação pode nos auxiliar, mas não podemos esquecer que nossa mente fica "gordinha" e é ela que temos que "emagrecer" o corpo é consequência...afinal temos fome de que? O que comemos mesmo?
Alessandra.

7/1/11

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO