Dieta Cirrose Hepática

por Dra. Viviane Souza Silva - Nutricionista SP

A cirrose hepática é uma condição causada por algumas doenças crônicas do fígado que provocam a formação de cicatriz e dano permanente ao fígado. O tecido cicatricial que se forma na cirrose hepática prejudica a estrutura do fígado, bloqueando o fluxo de sangue através do órgão.
 
A perda do tecido hepático normal diminui a capacidade que o fígado tem de processar nutrientes, hormônios, fármacos e toxinas. O fígado participa ativamente dos processos de nutrição do organismo, as lesões nesse órgão causadas pela cirrose levam à desnutrição. 

A desnutrição na cirrose ocorre por vários mecanismos: ingestão insuficiente de alimentos, dificuldade de absorver os alimentos ingeridos, perda de proteínas pelo intestino e redução da síntese de proteínas pelo fígado. 

Algumas deficiências nutricionais são particularmente preocupantes no paciente com cirrose: a desnutrição protéica, as deficiências de vitaminas C, do complexo B, de zinco e de selênio.  

Orientações Nutricionais

De uma forma geral a dieta consiste em diminuir a ingestão de alimentos muitos ricos em gordura como presunto, salsicha, lingüiça, patê, maioneses, bolos, doces, Isto não significa que seja uma dieta SEM gordura, a quantidade deve ser diminuída e deve haver uma mudança na qualidade da gordura oferecida. 

Já as proteínas que são muito importantes devem ter sua ingestão muito bem controlada. O grupo de vitaminas e minerais também recebem uma atenção especial, pois há casos de pacientes que precisam de suplementação desses elementos. 

 O fracionamento da dieta também é muito importante, devem ser fracionadas em menores porções em vários intervalos de tempo. A nutrição e o fígado estão relacionados de muitas maneiras. Tudo o que comemos, respiramos e absorvemos, inclusive por nossa pele, deve ser refinado e desintoxicado pelo fígado. 

Por isso uma dieta prescrita por um nutricionista é muito importante, pois ela deve ter as quantidade necessárias de macro, micronutrientes, que deve ser apropriada ao paciente. A nutrição é um tratamento contínuo, ou seja, não adianta apenas algumas consultas, pois a avaliação e a conduta dietoterápica podem mudar de acordo com a evolução do paciente, o objetivo mais importante do tratamento é manter uma boa qualidade de vida sem prejudicar seu estado nutricional. 


 Referência Bibliográfica 
BOGLIOLO, Patologia, Brasileiro Filho, Geraldo. -7º Edição, Rio de Janeiro:Guanabara Koogan, 2006 
BoDinski, LH. Dietoterapia Princípios & Pratica. São Paulo, Editora Atheneu, 2001  
Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/ coletiva_saude_061008.pdf 
Disponível em: http://www.sgnsp.org.br/artigos.php?id=147 
Disponível em: http://www.opas.org.br/informacao/UploadArq/ Relatorio_de_conclusao_CTI- 
Disponível em: http://www.icb.usp.br/~cassola/graduacao/fisioterapia/ figado.doc 
 Disponível em: http://www.citen.com.br/doencas/quando-o-figado-nao-funciona- bem--.aspx

1 comentários:

Anônimo disse...

desculpe, mas falou e não disse.
poderia ter citado que o principal é tirar o sal, e os produtos enlatados e industrializados que contém sódio.
estou errado?

22/4/12

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO