Pular para o conteúdo principal

Adicione fibras no cardápio


Por Priscila Marques

A fibra alimentar é definida como “a parte comestível das plantas ou análogos aos carboidratos que são resistentes à digestão e absorção pelo intestino delgado humano, com fermentação parcial ou total no intestino grosso”, segundo a Association of Official Analytical Chemists (AOAC) - órgão americano.

Sua fermentação pode variar de 0% a 90%, e, somente a partir de 60% que a fibra é considerada fermentável, tendo como produtos ácidos graxos de cadeia curta (AGCC), gases e energia.

De maneira geral, as fibras são importantes na alimentação porque aceleram o trânsito intestinal e mantém o tubo digestivo saudável. E seus tipos podem variar de acordo com sua solubilidade em água (solúveis e insolúveis), sua estrutura e o grau de fermentação.

As fibras solúveis estão relacionadas a efeitos sobre o tempo de digestão no estômago e no intestino delgado, retardando o tempo de absorção intestinal. Esse tipo de fibra também contribui para redução dos níveis séricos de colesterol, pela redução da absorção do mesmo, e também pela regulação de hormônios produzidos no pâncreas e nas paredes digestivas. Suas fontes são principalmente as frutas, hortaliças, leguminosas e alimentos contendo aveia, cevada ou centeio.

O Amido resistente (AR) age como fibra solúvel e foi classificado como a soma do amido e dos produtos de degradação que não são absorvidas no intestino delgado de uma pessoa saudável.

Os FOS (fruto-oligossacarídios) e a inulina são carboidratos com propriedades fisiológicas semelhantes às fibras, normalmente presentes na alimentação (tomate, banana, cebola, alho, trigo, entre outros). São hidrossolúveis e fermentáveis, com capacidade de modificar a flora intestinal e promover proliferação de bactérias benéficas, redução das bactérias patogênicas, redução de toxinas, prevenção de diarréia e constipação.

Também considerada como fibra solúvel, temos as gomas, que são a parte não estrutural das plantas e têm alta capacidade de formação de gel. São utilizadas na indústria alimentícia como emulsificante ou estabilizante. Na alimentação são encontradas em farelo de aveia, farinha de aveia e farelo de cevada.

As fibras insolúveis exercem papel sobre a atividade do cólon, de forma que é responsável pelo aumento do volume e fluidez das fezes e pelo estímulo da motilidade intestinal. São hidrolisadas pelas bactérias da flora intestinal e facilitam a proliferação das bactérias benéficas na microbiota intestinal, contribuindo para a protecção da parede do cólon. Suas principais fontes são as hortaliças e nos cereais integrais.

A celulose é uma substância orgânica, componente das paredes celulares das plantas e é considerada uma fibra do tipo insolúvel. É responsável por reter água nas fezes, aumentando seu volume e peso e favorecendo o peristaltismo, que aumenta o número de evacuações.

Atualmente recomenda-se uma ingestão diária de pelo menos 25g de fibras por dia, que pode ser facilmente atingido se, por exemplo:

  • Consumir pão escuro, integral;
  • Alternar o consumo de massas e arroz branco com as suas versões integrais, que são ricas em fibras;
  • Consumir diariamente leguminosas tais como feijões, ervilhas, grão, favas, lentilhas, entre outros, no prato ou na sopa.
  • Usar como acompanhamento do prato principal saladas ;
  • Consumir fruta entre as principais refeições e também como sobremesa. `
Leia também:

Comentários

Leandro Cardoso disse…
Otima dica :)
Lucy Britto disse…
Perfeitas as dicas sobre fibras... adorei
seja muito bme vinda em meu espaço tbm
http://percapeso-ganhefelicidade.blogspot.com/
faço um convite a vc tbm
estou realizando um sorteio em meu blog
passa lá para se inscrever bjs....
PRISCILLA disse…
Olá pessoal!

Fico muito feliz que tenham gostado da matéria e das dicas... viram como é fácil acrescentar fibras em nossa alimentação?!
Continuem acompanhando nossas dicas! :)
Obrigada!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Afinal quais são os alimentos constipantes e laxantes?

Dra. Judith Godoy Moreira Pereira – Nutricionista MG

Alimentos laxantes indicados para quem apresenta constipação: abacate, abacaxi, abobrinha, acelga, agrião, alface, ameixa-preta e amarela, avelã, berinjela, bertalha, brócolis, compotas, castanha-do-pará, cenoura crua, cereais integrais, chicória, couve, creme de leite, embutidos, farinha de aveia, aveia em flocos, figo, fubá, frutas oleaginosas, frutas secas, geléia, gema de ovo, grão-de-bico, jaca, kiwi, laranja, lentilha, mamão, manga, morango, quiabo, tangerina, uva, vagem, inhame.
Na constipação utilizar alimentos crus e folhas nas saladas. Farelos de trigo, farelo de arroz ou outra fibra integral natural, podem ser adicionados às refeições para aumentar o aporte de fibras totais da dieta.

Alimentos constipantes indicados na diarréia: Amido de milho, batata-inglesa, banana-prata, banana-maçã, cream cracker, cará, caju, cenoura cozida, cevada, chá-preto, creme de arroz, fécula de batata, goiaba, limonada, maçã, maisena, farinha de a…

Dicas Nutricionais para Ganho de Peso em Crianças

O baixo peso apresenta risco de desenvolvimento insatisfatório, o seu crescimento e o processo de aprendizagem podem ficar prejudicados, temporariamente ou definitivamente, vai depender da gravidade e do período em que a criança permanecer com peso baixo. Por isso, é importante buscar alternativas que recuperem o estado nutricional da criança o mais rápido possível:
* Separe a refeição em um prato individual para se ter certeza do quanto à criança está realmente ingerindo; * Esteja presente junto às refeições mesmo que a criança já coma sozinha, você poderá ajudá-la se necessário; * Não apresse a criança, é necessário ter paciência e bom humor; * Alimente a criança tão logo ela demonstre fome. Se a criança esperar muito ela perde o apetite; * Não force a criança a comer, isso aumenta o estresse e diminui ainda mais o apetite. As refeições devem ser tranqüilas e felizes; * Acrescente Azeite de Oliva Extra Virgem nas refeições para aumentar o valor calórico da dieta: para crianças menores de …

Orientações Nutricionais para uma Vida Saudável

1-Mastigue bem os alimentos, comendo devagar para facilitar a digestão e saborear os alimentos;

2-Procure fazer as refeições em lugar tranqüilo, evitando outro tipo de atividade enquanto se alimenta, como por exemplo, assistir TV;

3-Fazer em torno de 5 a 6 refeições diárias, evitando longos períodos de jejum (ficar mais do que 4 horas sem se alimentar);

4-Ingerir em torno de 3 litros de líquidos durante o dia, água, sucos, chás, pois auxilia no funcionamento do intestino, transporte dos nutrientes e excreção das substâncias tóxicas;

5-Evite a ingestão de líquidos durante as refeições, pois dificulta a digestão, absorção e utilização dos nutrientes, o ideal é ingerir líquidos 30 min. antes ou 1 hora depois das grandes refeições (almoço e jantar);

6-Dar preferência para as preparações com menor teor de gorduras evitando assim o consumo de toucinho, bacon, torresmo, banha, margarina, manteiga e maionese. Veja a receita da Maionese de Soja, bem mais saudável!

7-Não reutilize o óleo de fritura, …