NUTRIÇÃO, DESEJO, POTÊNCIA SEXUAL E CAPACIDADE REPRODUTIVA

Prof. Henrique Freire Soares

Afrodisíaco é definido como qualquer composto, alimento ou medicamento que desperte o instinto sexual, estimule o desejo e aumente o prazer e o desempenho sexual.

Diversas pesquisas têm avaliado o efeito da ingestão de alimentos e compostos bioativos para alcançar tais objetivos. Neste aspecto, quatro grandes assuntos são discutidos pela literatura:

  1. Modulação da dopamina, da testosterona e de suas funções;

  2. Efeito do estado nutricional no desempenho sexual;

  3. Disfunção endotelial, modulação do óxido nítrico e de suas funções;

  4. Produção e proteção dos espermatozóides.

    A dopamina é considerada o hormônio do prazer e é produzida no corpo a

partir de aminoácidos com participação de micronutrientes. A testosterona, em homens e em mulheres, é responsável pelo aumento da massa muscular, pela produção de espermatozóides, pela libido e por uma ação parcial na vasodilatação. A testosterona é produzida a partir do colesterol, e pode ter seu efeito reduzido quando transformada em estradiol. Alguns medicamentos e alimentos podem reduzir a produção de colesterol e, portanto, de testosterona, assim como reduzir ou aumentar a conversão em estradiol, também influenciada pela obesidade.

Outro aspecto importante é que para obter máxima ereção peniana e clitoriana, homens e mulheres precisam da vasodilatação, processo controlado pelas células endoteliais e pelo óxido nítrico, produzido nestas mesmas células. Em estado de disfunção, as células endotelais reduzem a produção do óxido nítrico. Nutricionalmente é possível estimular a produção de óxido nítrico, bem comorestabelecer a função das células endoteliais e protegê-las do estresse oxidativo.

Outra abordagem proposta é garantir a produção e proteção dos espermatozóides, visando aumentar a capacidade de fecundação. Espermatozóides são células produzidas por estímulo da testosterona, que apresentam alto número de mitocôndrias em virtude da produção de energia necessária para suas funçõesfisiológicas, e podem sofrer alterações estruturais e funcionais em virtude do estresse oxidativo e da inflamação. Alguns estudos propõem aumentar o consumo de vitaminas, minerais e compostos bioativos antioxidantes para elevar a capacidade reprodutiva.

A literatura ainda trás à luz do conhecimento, alimentos tidos como afrodisíacos por serem fontes naturais de testosterona e outros bastante controversos, que mesmo ricos em antioxidantes, podem reduzir o desempenho sexual e a capacidade reprodutiva. Convido a todos para um breve debate on line sobre o tema.

Referências Bibliográficas

  1. NEELESH, M.; SANJAY, J.; VIPIN, B.G.; SAVITA, V. Recent studies on

    aphrodisiac herbs for the management of male sexual dysfunction - a review.

    Acta Pol Pharm; 68(1): 3-8, 2011.

  2. TUNC, O.; BAKOS, H.W.; TREMELLEN, K. Impact of body mass index on

    seminal oxidative stress. Andrologia; 43: 121–128, 2010.

  3. EL-MARAGHY, S.A.; NASSAR, N.N. Modulatory effects of lipoic acid and

    selenium against cadmium-induced biochemical alterations in testicular

    steroidogenesis. J Biochem Mol Toxicol; 25(1):15-25, 2011.

  4. OKULIAROVÁ, M. et al. Variability of yolk testosterone concentrations during the reproductive cycle of Japanese quail. Comp Biochem Physiol A Mol

    Integr Physiol; 154(4):530-4, 2009.

  5. COLLODEL, G.; FEDERICO, M.G.; GEMINIANI, M. et al. Effect of trans-

    resveratrol on induced oxidative stress in human sperm and in rat germinal

    cells. Reprod Toxicol; 31(2):239-46, 2011.

  6. FERNANDES, G.S.A.; FERNANDEZ, C.D.B.; CAMPOS, K.E.; et al. Vitamin C

    partially attenuates male reproductive déficits in hyperglycemic rats. Reprod

    Biol Endocrinol; 9:100, 2011.

  7. HARADA, N.; OKAJIMA, K. Effects of capsaicin and isoflavone on blood

    pressure and serum levels of insulin-like growth factor-I in normotensive andhypertensive volunteers with alopecia. Biosci Biotechnol Bioche; 73(6):1456- 9, 2009.

  8. TURK, G.; et al. Effects of pomegranate juice consumption on sperm quality, spermatogenic cell density, antioxidant activity and testosterone level in male rats. Clin Nutr; 27: 289-296, 2008.

  9. MANCINI, A.; DE MARINIS, L.; LITTARRU, G.P.; BALERCIA, G. An update of coenzyme Q10 implications in male infertility: biochemical and therapeutic aspects. Biofactors; 25:165-174, 2005.

  10. GALLOWAY, T.; et al. Daily Bisphenol A Excretion and Associations with Sex Hormone Concentrations: Results from the InCHIANTI Adult Population Study. Environ Health Perspect; 118:1286-1291, 2010.

  1. MONTEIRO, R.; AZEVEDO, I.; CALHAU, C. Modulation of aromatase activity by diet polyphenolic compounds. J Agric Food Chem; 54(10):3535-40, 2006.

  2. FIGUEIROA, M.S.; et al. Green tea polyphenols inhibit testosterone production in rat Leydig cells. Asian J Androl; 11: 362–370, 2009.

  3. CEDERROTH, C.R.; et al. Soy, phyto-oestrogens and male reproductive function: a review. Int J Androl; 33(2): 304–316, 2010.

1 comentários:

http://derreteno.blogspot.com/ disse...

Bom dia!
Parabéns pela matéria!
Gostaria de saber um contato para trocarmos algumas experiências.
paolapnut@yahoo.com.br
Aguardo!
Att.
Paola

3/11/11

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO