Pular para o conteúdo principal

Farinha de alfarroba o que é?

por Dra Rita de Cassia Sales Coutinho Caputi – Nutricionista RJ

Uma opção para os “chocólatras de plantão”



Com a aproximação da Páscoa, começa a corrida às compras de ovos, bombons e barras de chocolate... e também aquele medo de engordar alguns quilinhos por conta dessa (nem sempre) doce paixão. Para os aficcionados por chocolate pode haver uma alternativa de contornar o vício pela iguaria: você já ouviu falar nos substitutos do cacau (Theobroma cacao)?

Um deles é a farinha tostada de alfarroba (Ceratonia siliqua L.), ou simplesmente, alfarroba em pó. A alfarroba, o fruto da alfarrobeira, árvore nativa dos países mediterrâneos, é consumida em muitos países árabes na forma de doces e de uma bebida consumida durante o Ramadan (nono mês do calendário islâmico, no qual os muçulmanos praticam seu jejum ritual, além de renovarem sua fé, praticarem a caridade e vivenciarem os valores da vida familiar). Após secagem, trituração e torrefação, a polpa da fruta dá origem ao pó ou à farinha de alfarroba, que, apesar de possui cor e sabor similares aos do cacau, tem menor teor lipídico e a vantagem de não conter os compostos estimulantes (cafeína e teobromina) contidos no cacau e que são considerados fatores antinutricionais (elementos que interferem na disponibilidade de nutrientes em nosso organismo; em excesso, reduzem a absorção de cálcio, ferro, estimulam a musculatura cardíaca), não possuindo, dessa forma, o efeito viciante do cacau, podendo ser consumido inclusive por indivíduos que devem evitar estimulantes, como pacientes cardiopatas.

A alfarroba já era utilizada na indústria alimentícia como espessante (goma jataí), com a finalidade de melhorar a textura de bolos e biscoitos, espessar molhos para saladas e melhorar características de congelamento e fusão de sorvete. No exterior, era mais consumida por vegetarianos e pessoas que se preocupavam em ter uma alimentação mais natural e saudável. Agora já é possível encontrar aqui no Brasil, em lojas de produtos naturais e afins, produtos contendo alfarroba, como doces de banana e de coco com cobertura de alfarroba, alfarroba em pó para uso culinário, etc.


Referências

  • Medeiros, Magda Leite; Lannes, Suzana Caetano da Silva. Avaliação química de substitutos de cacau e estudo sensorial de achocolatados formulados. Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, 29 (2): 247-253, abr.-jun. 2009.
  • ______. Propriedades físicas de substitutos do cacau. Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, 30 (Supl. 1):243-253, maio 2010.
  • Baldasso, Camila; Martins, Shaiana; Sangiovanni, Paula. Espessantes. Porto Alegre, abril 2004.
  • Pires, Aureliano José Vieira; Vieira, Viviane Figueiredo; Silva, Fabiano Ferreira da; et al. Níveis de farelo de cacau (Theobroma cacao) na alimentação de bovinos. Revista Electrónica de Veterináaia REDVET, v. VI, n. 2, Febrero 2005.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Afinal quais são os alimentos constipantes e laxantes?

Dra. Judith Godoy Moreira Pereira – Nutricionista MG

Alimentos laxantes indicados para quem apresenta constipação: abacate, abacaxi, abobrinha, acelga, agrião, alface, ameixa-preta e amarela, avelã, berinjela, bertalha, brócolis, compotas, castanha-do-pará, cenoura crua, cereais integrais, chicória, couve, creme de leite, embutidos, farinha de aveia, aveia em flocos, figo, fubá, frutas oleaginosas, frutas secas, geléia, gema de ovo, grão-de-bico, jaca, kiwi, laranja, lentilha, mamão, manga, morango, quiabo, tangerina, uva, vagem, inhame.
Na constipação utilizar alimentos crus e folhas nas saladas. Farelos de trigo, farelo de arroz ou outra fibra integral natural, podem ser adicionados às refeições para aumentar o aporte de fibras totais da dieta.

Alimentos constipantes indicados na diarréia: Amido de milho, batata-inglesa, banana-prata, banana-maçã, cream cracker, cará, caju, cenoura cozida, cevada, chá-preto, creme de arroz, fécula de batata, goiaba, limonada, maçã, maisena, farinha de a…

Dicas Nutricionais para Ganho de Peso em Crianças

O baixo peso apresenta risco de desenvolvimento insatisfatório, o seu crescimento e o processo de aprendizagem podem ficar prejudicados, temporariamente ou definitivamente, vai depender da gravidade e do período em que a criança permanecer com peso baixo. Por isso, é importante buscar alternativas que recuperem o estado nutricional da criança o mais rápido possível:
* Separe a refeição em um prato individual para se ter certeza do quanto à criança está realmente ingerindo; * Esteja presente junto às refeições mesmo que a criança já coma sozinha, você poderá ajudá-la se necessário; * Não apresse a criança, é necessário ter paciência e bom humor; * Alimente a criança tão logo ela demonstre fome. Se a criança esperar muito ela perde o apetite; * Não force a criança a comer, isso aumenta o estresse e diminui ainda mais o apetite. As refeições devem ser tranqüilas e felizes; * Acrescente Azeite de Oliva Extra Virgem nas refeições para aumentar o valor calórico da dieta: para crianças menores de …

Orientações Nutricionais para uma Vida Saudável

1-Mastigue bem os alimentos, comendo devagar para facilitar a digestão e saborear os alimentos;

2-Procure fazer as refeições em lugar tranqüilo, evitando outro tipo de atividade enquanto se alimenta, como por exemplo, assistir TV;

3-Fazer em torno de 5 a 6 refeições diárias, evitando longos períodos de jejum (ficar mais do que 4 horas sem se alimentar);

4-Ingerir em torno de 3 litros de líquidos durante o dia, água, sucos, chás, pois auxilia no funcionamento do intestino, transporte dos nutrientes e excreção das substâncias tóxicas;

5-Evite a ingestão de líquidos durante as refeições, pois dificulta a digestão, absorção e utilização dos nutrientes, o ideal é ingerir líquidos 30 min. antes ou 1 hora depois das grandes refeições (almoço e jantar);

6-Dar preferência para as preparações com menor teor de gorduras evitando assim o consumo de toucinho, bacon, torresmo, banha, margarina, manteiga e maionese. Veja a receita da Maionese de Soja, bem mais saudável!

7-Não reutilize o óleo de fritura, …