Aprender sobre Nutrição

POR Dra. Cristiane Tecchio Nutricionista MG

Esse post é uma interação multidisciplinar entre educação e saúde. Vamos entender a aprendizagem na visão da pedagoga Maria Lucia Batista Ferreira e no final alguns nutrientes importantes no processo cognitivo. Engana-se quem pensa que a nutrição e alimentação não tem um papel importante no aprendizado. Segundo Maria Lucia, a aprendizagem e a construção do conhecimento são processos naturais e espontâneos do ser humano. 

A aprendizagem escolar é também um processo natural. Ela resulta de uma complexa atividade mental que envolve o pensamento, a percepção, as emoções, a memória, a motricidade e os conhecimentos prévios. As dificuldades de aprendizagem na escola podem conduzir o aluno ao fracasso escolar. Essas dificuldades, raramente, têm origens apenas cognitivas. Vários fatores podem interferir na vida escolar da criança, tais como: os problemas de relacionamento professor – aluno, as questões metodológicas, os conteúdos curriculares, a dinâmica familiar, problemas sócio – econômicos. O aluno, quando percebe suas dificuldades na aprendizagem, apresenta muitas vezes desinteresse, desatenção, irresponsabilidade, agressividade, desmotivação e incômodo com as tarefas escolares. 

O sentimento de incapacidade leva à frustração. Nenhum aluno tem baixo rendimento por vontade própria. A dificuldade acarreta muito sofrimento para a criança. Para fortalecer a sua auto-estima é importante valorizar o que a criança sabe. Mostrar-lhe o quanto é boa em tarefas nas quais tem habilidade. É fundamental incentivá-la, encorajá-la a desenvolver outras tarefas nas quais ela não seja tão boa. A paciência, o apoio e o encorajamento do professor são impulsionadores do sucesso do aluno. A alimentação atua diferentemente no crescimento e desenvolvimento, no modo de olhar e sentir, na energia despendida no trabalho e nos jogos e na expectativa de vida. 

A nutrição inadequada é um obstáculo à aprendizagem. A criança má nutrida não pode participar das atividades escolares como deveria se estivesse bem alimentada. A capacidade intelectual é, portanto, proporcional a uma boa alimentação, a uma boa nutrição. Além da atitude positiva do professor, para que resultados concretos sejam obtidos, é preciso ser feito um trabalho em conjunto com pais, psicólogos, profissionais da escola, profissionais da saúde e outros. Todos deverão estar envolvidos em um único objetivo: ajudar a criança.


0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO