Dúvidas Alimentação do Bebe


Alimentação Complementar.


por Dra. Tatiane de Moura Fontes Araújo



Sabemos que até os 6 meses o aleitamento materno é essencial e deve ser

exclusivo. Mas e depois? O que posso dar? Quando e quanto devo dar alimentos para o

meu bebê?

Após os seis meses devem ser servidos alimentos 3 vezes ao dia, se a criança

amamentar e 5 vezes ao dia, se for desmamada. A mãe pode passar a dar o alimento

de forma lenta e gradual, que irá complementar o leite materno, por isso esse alimento

será chamado de alimento complementar. O leite materno é recomendado como

complemento até 2 anos ou mais.

Para aquela criança que mama e tem entre 6 e 7 meses pode ser oferecido 2

papas de frutas (no lanche da manhã e da tarde) e uma refeição salgada (no horário

do almoço). Entre 8 e 12 meses, duas refeições salgadas e uma papa de fruta. A partir

dos 12 meses – duas refeições salgadas, três lanches intermediários de fruta, sendo um

complementado com cereais, pão ou biscoito sem recheio.

Para crianças que não mama, além da água, deve iniciar a introdução de

alimentos a partir do quarto mês, sendo duas papas de fruta e uma refeição salgada. A

partir dos 6 meses deve oferecer duas papas de fruta, duas refeições salgadas, além de

um lanche contendo leite, cereal, pão ou biscoito sem recheio. Como já foi desmamada,

a criança precisará ser orientada por médico ou nutricionista a respeito da quantidade de

leite a ser dada.

No início, essa alimentação deve ser preparada especialmente para a criança,

devendo ser oferecido sempre desfiado ou amassados com consistência pastosa (em

forma de purê ou papa). Evitando triturá-los, peneirá-los ou liquidificá-los, pois esses

tipos de processamentos não permitem que o bebê conheça novos alimentos, dificulta a

mastigação, além de que alimentos processados levam a perda de alguns nutrientes.

Os alimentos devem ser servidos sempre usando pratos, copos e colheres, e

nunca mamadeiras, pois dificultam a amamentação, devendo respeitar os horários e a

quantidade que a criança deseja. Caso haja recusa do novo alimento, a mãe deve voltar

a servi-lo algum tempo depois, pois para que um novo alimento seja aceito devem ser

oferecidos em média 8 a 10 vezes.

Os alimentos devem ser servidos separadamente para que a criança possa

identificar as cores e sabores. A mãe deve oferecer água à criança sempre entre as

refeições.

A partir dos 8 meses pode ser servida a mesma refeição da família desde que

desfiados, amassados ou em pedacinhos pequenos, devendo ser variada para garantir os

nutrientes necessários.

Devem-se evitar alimentos industrializados, grandes quantidades de sal,

temperos, açúcar e gorduras até o primeiro ano de vida. O chocolate também deve ser

evitado, pois o oxalato presente neste alimento dificulta a absorção do cálcio. O mel é

proibido para crianças menores que 1 ano, pois a criança é mais sensível a intoxicação

por C. botulinium, uma vez que a criança não apresenta o sistema gastrintestinal

totalmente desenvolvido.

Todas as refeições devem ser preparadas com bastante higiene, usando sempre

água fervida ou filtrada.

REFERÊNCIAS

Brasil. Ministério da Saúde. Dez passos para uma alimentação saudável: guia alimentar para
crianças menores de 2 anos: álbum seriado / Ministério da Saúde,. – Brasília: Ministério da
Saúde, 2003. 20 p.

FIOCRUZ. Promoção da amamentação e alimentação complementar. Disponível em:
<http://www.redeblh.fiocruz.br/media/cartilhasmam.pdf>. Acesso em: de setembro 2012

0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO