Barú do cerrado: a castanha do momento


Dra. Grazieli Neves- Nutricionista DF


O consumo das oleaginosas na dieta dos brasileiros cresceu bastante pelos benefícios a saúde que elas trazem em minerais, proteínas e antioxidantes. Outra estrela desse time vem tomando conta da escolha de muitas pessoas, a castanha do barú que possui diversos nomes populares, tais como: fruta-de-macaco, castanha-de-burro, cumaru, cumbaru, barujo, castanha-de-ferro, coco-feijão, cumaru-da-folha-grande, cumarurana, cumaru-verdadeiro, cumaru-roxo, cumbary, emburena-brava, meriparajé, e pau-cumaru.

 A castanha do baru também conhecida como amêndoa, representa 5% do rendimento em relação ao fruto inteiro e fica escondida no centro da fruta.  Da castanha também extrai o óleo, mas o grande atrativo mesmo são as castanhas, que tem o gosto semelhante com o do amendoim e é usada com frequência na culinária do cerrado.
Em relação aos benefícios nutricionais, O barú é rico em proteínas, minerais, além dos ácidos graxo oleico (ômega-9) e linoleico (ômega-6) e fibras, além de ser beneficiada pela grande quantidade de proteína (23%), superando a ervilha, grão de bico, feijão e até mesmo as castanhas-de- caju e a castanha- do- pará. Amêndoas e o pistache, por exemplo, tem 21 gramas de proteína.
 A quantidade de lipídeos é de 38%. Outro atrativo é que 200 gramas de castanha de barú seriam suficientes para suprir as necessidades diárias de ferro de crianças e adultos do sexo masculino.
A semente do barú também é considerada como, afrodisíaco do cerrado, devido sua grande quantidade de energia e de zinco, mineral considerado importante para a fertilidade do homem e da mulher.
Mas cuidado, ao consumir a castanha do barú não deve ser consumida in natura, deve torrar antes do consumo, pois pode provocar intoxicação e lesões na pele.

Inclua a castanha do barú no seu “mix de oleaginosas” e no preparo de bolos e pães e nas preparações da sua ceia de Natal!
 Valor calórico em 100g = 502 kcal.

BORGES, E.J. Baru a castanha do cerrado. Brasília, DF. Outubro 2004

Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, 29(4): 820-825, out.-dez. 2009
820 Implicações nutricionais e sensoriais da polpa e casca de baru (Dipterix Alata vog.) na elaboração de pães.

0 comentários:

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO