Benefícios Nutricionais da Quinua


Por Thais Pereira



Atualmente muito tem se lido e ouvido falar sobre esta planta sagrada, mas afinal, o que seria a Quinua?

Quinua e sua origem

Há mais de 8.000 anos que os Incas a cultivavam, sua palavra tem origem Quechua (idioma dos antigos incas) que significa Grano Madre” ou "mãe dos seres humanos", considerada uma planta sagrada para os Incas.

A Quinua pertence à família Chenopodiaceae, do mesmo modo que o espinafre, beterraba e o mastruz. Suas folhas são ótimas fontes de proteína, fibras, minerais e vitaminas, quando novas podem ser consumidas assim como o espinafre, porem, devido apresentar quantidade elevada de nitrato a mesma deve passar pelo processo de cocção.

Existem vários tipos de grãos de Quinua devido às diversidades de cultivo, havendo então variações em sua composição química. Os tipos mais encontrados e consumidos no Brasil são os grãos brancos, vermelhos e pretos, introduzidos em nosso pais na década dos anos 90.

Este alimento é considerado o melhor alimento de origem vegetal, devido seu alto valor nutricional, a Quinua foi selecionada pela Nasa, a fim de participar da dieta dos astronautas nos vôos extensos.

Observe a seguir sua composição nutricional:

Composição/100g
QUINUA
Calorias (kcal)
347,6
Carboidrato (g)
59,8
Proteína (g)
14,2
Gorduras (g)
5,7
Fibras (g)
5,1
Cálcio (mg)
66,6
Ferro (mg)
10,9
Fósforo (mg)
408,3
Magnésio (mg)
204,2
Potássio (mg)
1040,0
Zinco (mg)
7,5
Fenilalanina (mg)
4,0
Lisina (mg)
6,0
Metionina (mg)
2,3
Triptofano (mg)
0,9

Considerações Nutricionais

*      Apresenta quantidade de proteínas e fibras elevada, a Quinua permanece superior aos cereais (arroz, milho, cevada e trigo), porem, abaixo das leguminosas (feijão e soja), deste modo pode ser considerada um pseudocereal.

*      Seus grãos ofertam todos os aminoácidos essenciais (aqueles que devem ser obtidos pela alimentação por não ser produzido pelo organismo), sendo especialmente ricos em lisina e metionina (pouco encontrado no reino vegetal, este aminoácido essencial é fundamental para o desenvolvimento celular e crescimento do organismo), quando combinados com cereais ou leguminosas tornam a dieta mais equilibrada.

*      Sua composição de aminoácidos essenciais confere à planta um elevado valor biológico, comparável somente ao leite e ao ovo. Essas proteínas atuam para um melhor rendimento e elasticidade das fibras musculares, auxilia na recuperação de tecidos e células e estimulam a produção de hormônios e enzimas.

*      Fonte de ferro, sua administração supri 74% das necessidades, em quanto o sulfato ferroso supri 55%.

*      Sua fração lipidica é superior aos demais cereais, entretanto, é uma rica fonte de ácidos graxos essenciais (linolêico e linolênico, representam 60%), concentração que favorece o consumo do seu óleo por ser mais estável, oxida com menos facilidade.

*      Seu valor calórico faz da quinua um alimento apropriado para áreas altas e épocas mais frias.


Quem pode consumir?

A Quinua é recomendada para indivíduos de todas as faixas etárias.

CRIANCAS:
- Contem lisina: desenvolvimento da inteligência, rapidez de reflexos, memória e aprendizagem.

ADULTOS:
- Seu teor de fibras elevado favorece bom funcionamento intestinal, alem de auxiliar na redução de gorduras e açúcares absorvidos.

VEGETARIANOS:
- Por não consumirem alimentos de origem animal, a Quinua torna-se uma excelente fonte protéica.

PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA / ATLETAS:
- Quantidade elevada de aminoácidos
- Auxilia na recuperação das fibras musculares
- Fácil digestibilidade;
- Concentração reduzida de colesterol e gordura

CELÍACOS:
- Por apresentarem intolerância ao glúten (uma proteína presente no trigo, cevada, centeio, aveia, triticale, malte e painço e em todos os seus derivados, como a farinha, farelos, germe, etc.), a Quinua atua como alternativa de consumo no grupo dos cereais.

POPULAÇÕES CARENTES DE PAÍSES POBRES:
- Suas propriedades favorecem auxilio para suprir algumas carências nutricionais para este grupo populacional.



Abraços e até a próxima!


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

 ACELBRA – Doença Celíaca. Disponível em: http://www.acelbra.org.br/2004/doencaceliaca.php. Acessado em 28 de Junho de 2010.

IBGE – Tabela de composição de alimentos / IBGE – 5. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 1999

MUJICA; A., JACOBSEN; S. La quinua (Chenopodium quinoa Willd.) y sus parientes silvestres.  La Paz, p. 449-457, 2006

QUINUA REAL – Disponível em: http://www.quinuareal.com.br/valor.asp. Acessado em 27 de Junho de 2010.

SPEAH; C.R. Adaptação da quinua (Chenopodium quinoa Willd.) para incrementar a diversidade agrícola e alimentar no Brasil. Caderno de ciência & Tecnologia, Brasília, v.23, n.1, p.41-62, jan./abr., 2006.

TACO - Tabela brasileira de composição de alimentos / NEPA-UNICAMP.- Versão II. 2. ed. Campinas, SP: NEPA-UNICAMP, 2006. 


6 comentários:

Vanessa Roriz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vanessa Roriz disse...

Gostei muito! Sempre quis saber sobre a quinua! =]

30/6/10
** JORNAL ATITUDE ON-LINE ** disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thais Pereira disse...

Espero que a matéria tenha atingido as expectativas de todos que ainda não tinham duvidas sobre a Quinua. Agradeço a você e a todos que utilizam desta ferramenta, para ampliar seus conhecimentos na área da nutrição. Obrigada, Abraços e Sucesso!!

30/6/10
Portal Meu Nutricionista disse...

Thaís, nossos parabéns pela excelente matéria publicada no DICAS DE NUTRIÇÃO! Seguindo dessa maneira, conquistará ainda muitas realizações profissionais.

Equipe Portal Meu Nutricionista

30/6/10
Claudia Santos disse...

Boa de mais a materia! Bem completa... Me foi muito util! Valeu.

1/7/10

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

ARQUIVO